Tecnologia

TSE vai permitir que eleitores registrem suas digitais via smartphone

Escrito por Paulo Carmino

Já faz algum tempo que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vem tornando obrigatório o registro de digitais associando o título de eleitor para transformar o sistema eleitoral cada vez mais seguro. No entanto, esse registro é feito através dos pontos físicos em cada cidade. Em Sete Lagoas, por exemplo, cidade do interior de Minas Gerais, esse processo vem acontecendo desde a metade de 2019, mas todos os pontos de registros estão esgotados e o eleitor precisa enfrentar uma fila que pode durar algumas horas para conseguir registrar suas digitais.

Pensando nisso, o TSE vai permitir que os eleitores registrem suas digitais via Smartphone, através do aplicativo e-título. A validação das digitais através do smartphone tem como propósito cumprir a meta de ter todos os 148 milhões de eleitores brasileiros com dados biométricos cadastrados até as eleições 2022. Atualmente, cerca de 103 milhões de eleitores conferem no cadastro de digitais.

Procedimento não substitui obrigação de voto presencial

Embora seja importante e indispensável, a biometria não substitui e não tem relação direta com o ato de votar. Ela apenas garante a segurança do eleitor no processo. Portanto, o cadastro de digitais apenas será feito de forma mais simples para uma maior adesão. Por outro lado, o voto continuará sendo presencial.

Sobre o Autor

Paulo Carmino