Desenvolvimento

Urina será utilizada para substituir fertilizantes na Holanda

Projeto de Amsterdã vai aproveitar o dejeto como alternativa sustentável aos produtos usados nas coberturas verdes.

A companhia de tratamento de água de Amsterdã desenvolveu um projeto que utiliza a urina armazenada nos sanitários públicos como fertilizante para os telhados verdes da cidade. Embora seja bizarro, o projeto reduz a utilização dos produtos agrícolas que fornecem para as plantas nitrogênio, potássio e fósforo, propriedades organicamente encontradas na urina, e que, nem sempre, são extraídas da natureza de maneira sustentável.

O projeto recebeu o aval das autoridades holandesas, que já deram início à construção de uma unidade de processamento de urina, que deverá entrar em funcionamento a partir do ano que vem. De acordo com a Waternet, companhia de tratamento de água e esgotos da capital holandesa, será possível processar até mil toneladas de fertilizantes a cada ano, levando em conta a população de Amsterdã.

Um dos objetivos para a transformação do dejeto em fertilizante é diminuir a exploração dos recursos necessários para sua fabricação, sobretudo o fósforo, que desperta dúvidas sobre sua existência até o final do século, graças à massiva exploração.

Os telhados verdes são importantes soluções da arquitetura para reduzir as emissões de carbono nos grandes centros urbanos, além de equilibrar as temperaturas internas das edificações, e, até mesmo, possibilitar o cultivo de alimentos na parte superior dos prédios. No entanto, a utilização de água e fertilizantes industriais não é nada sustentável, uma vez que aumenta-se a demanda pelo recurso primordial em também passa a existir o fortalecimento da cadeia produtiva destes produtos agrícolas.

Por Gabriel Felix – Redação CicloVivo