Desenvolvimento

SP melhora reciclagem e população deve receber sacos diferentes para descartar lixo

A cidade de São Paulo ganhou mais uma central mecanizada de triagem de resíduos sólidos.

A cidade de São Paulo ganhou mais uma central mecanizada de triagem de resíduos sólidos. A inauguração aconteceu na última semana e a estrutura deve cooperar para triplicar a capacidade de reciclagem na capital paulista, chegando a alcançar 7% dos resíduos gerados na cidade.

A nova central possui 4.800 metros quadrados, equipados com tecnologia de alto nível e maquinário importado da França. Instalado na zona sul de São Paulo, o local tem capacidade para processar até 800 toneladas de lixo por dia.


Foto: Fábio Arantes/Secom

“De todos os resíduos que a cidade produz – 10,5 mil toneladas por dia – os orgânicos são 50%. Cerca de 35% é resíduo seco com possibilidade de ser reciclado e tem ainda um porcentual de 18% que é rejeito. Se considerarmos somente a porcentagem de resíduos secos, com as centrais nós vamos conseguir processar cerca de 45% deste material”, explicou o secretário de Serviços, Simão Pedro, durante o evento de inauguração.

A prefeitura pretende tornar o sistema uma ferramenta educacional. “Nós criamos uma passarela de visitação para 20 pessoas por vez, para que as pessoas acreditem no processo de reaproveitamento deste material”, informou o prefeito Fernando Haddad. O governante ainda explicou que a cidade pode passar a ter sacos específicos para a coleta seletiva. “Nós estamos desenvolvendo inclusive um saco plástico para a coleta seletiva, com as instruções do que vir para as centrais”, esclareceu.

A construção da central de triagem custou R$ 33 milhões. Em contrapartida, além do aumento no potencial da reciclagem, a central deve gerar mais empregos. Inicialmente 62 funcionários serão responsáveis pelo funcionamento da estrutura, que promete gerar, mensalmente, R$ 1,6 milhão de lucro. 


Foto: Fábio Arantes/Secom

Redação CicloVivo