Tecnologia

O crescimento dos produtos da Xiaomi no Brasil e sua legião fiel de fãs

Escrito por Forbiddeen

Uma coisa é certa, hoje em dia produtos chineses ou famosos xinglings não são mais sinônimo de péssima qualidade ou descartáveis. Nos últimos anos a china se transformou em um dos melhores lugares para você comprar um produto de qualidade por um preço atrativo. Antigamente quando se falava de celulares chineses, já vinha em nossa memória aqueles aparelhos engraçados, ruim em todos os requisitos e que comportam até 4 chips diferentes. 

Hoje a história é outra e a china conquistou seu espaço no mercado de tecnologia, criando produtos que reúne tudo aquilo que nós, meros consumidores procuramos: Qualidade, Design e Preço! Esses 3 itens eram quase impossíveis de caminhar de mãos dadas, já que se o produto fosse barato, a qualidade seria duvidosa, se ele tivesse um preço atrativo com certeza seria feio ou teria os piores atributos possíveis. 

A Xiaomi provou que é possível ter tudo reunido em um único aparelho, onde você consegue comprar um Smartphone por um preço justo, ótimo acabamento, com design invejável e ainda por cima com hardware atual. 

Mas como uma empresa tão nova, fundada em 6 de abril de 2010 conseguiu alcançar esse patamar? Vamos falar da sua história. 

A Xiaomi e MI são empresas diferentes, produzem a MI e Redmi e colaborarem entre si. É uma empresa chinesa de produtos eletrônicos com sede na China na cidade de Pequim. Hoje ela é considerada a terceira maior distribuidora de smartphones do mundo, a Xiaomi desenvolve, projeta e comercializa celulares, aplicativos móveis e eletrônicos de todos os tipos. O Logo ‘MI’ é a abreviação de Mobile Intenet (Internet móvel). Hoje eles possuem mais de 15 mil funcionários, a maioria está em Pequim na China, enquanto os outros estão divididos ente Taiwan, Indonésia, Índia e Hong Kong. 

Hoje a Xiaomi tem mais de 500 itens em seu catálogo. Literalmente a empresa desenvolve de tudo um pouco. É possível comprar televisão, ar condicionado, notebook gamer, aspirador de pó automático, mochilas, patinetes, smartphones, vaporizadores, maçanetas para porta, kits de chave de fenda, chuveiros, guarda chuvas, chaleiras, roteadores Wi Fi, fones de ouvido, abajur, garrafas térmicas, power bank (carregador portátil), barbeadores, lâmpadas, óculos e até porta sabonete líquido automático. 

Esses são apenas alguns dos produtos que a Xiaomi oferece hoje no mercado, mas esse número só vem aumentando. 

Acredito que uma das justificativas de ter tantas ‘testemunhas da Xiaomi’ hoje no Brasil seja pela qualidade e variedade dos seus produtos. É improvável que você encontre alguém dono de um Smartphone Xiaomi que só possui o aparelho, é comum essa mesma pessoa ter os fones de ouvido sem fio ou então a famosa MI Band, um relógio inteligente FIT com display colorido que funciona perfeitamente com qualquer aparelho que usa Android ou iOS. 

Outro ponto importante que atrai seus clientes e seus fãs é que todos os seus produtos eletrônicos são universais, não é necessário ter um Smartphone Xiaomi para utilizar os gadgets desenvolvido pela empresa. Algumas marcas costumam desenvolver acessórios incríveis para seus celulares, mas só são compatíveis com aparelho da própria marca. Isso é um erro de marketing e essa decisão acaba criando um público alvo muito fechado e limitado. 

A Xiaomi apostou em produtos universais compatíveis com todos os produtos disponíveis no mercado, com essa estratégia em pouco menos de 10 anos de vida, a Xiaomi conseguiu se tornar a terceira maior distribuidora de celulares do mundo, batendo empresas consagradas com mais de 20 anos de mercado no mercado de celulares. 

Deu para entender a origem desse sucesso todo? Não é atoa que a Xiaomi foi eleita pelo ranking BrandZ como a 5ª maior marca chinesa com maior presença global, ficando atrás apenas da Lenovo, Huawei, Alibaba e Elex Tech.

 

Smartphones: 

É impossível falar da Xiaomi sem falar dos seus incríveis celulares, a empresa conseguiu mudar o mercado quando chegou com seus produtos, no início todos desconfiavam da qualidade, julgando o preço que eram oferecidos. Como citado no início do artigo, não dava para confiar em algo oriundo da China, quem em sã consciência confiaria em um Smartphone vindo da china? Tudo bem que boa parte dos produtos hoje em dia são fabricados lá, então vamos perguntar de outra forma, quem em sã consciência confiaria em uma marca chinesa? 

No início parecia loucura, mas hoje é questão de sensatez. Hoje empresas mais consagradas no mercado sentem o impacto que a Xiaomi trouxe para o mercado, e como a entrada dela no mercado abriu outras possibilidades, além de colaborar com a queda significante dos preços desses aparelhos. Se uma empresa consegue oferecer tudo aquilo que as grandes conseguem, qual a razão dos preços serem tão diferentes? 

Esses são os principais modelos da Xiaomi Redmi, eles possuem aparelhos para cada tipo de pessoal, desde o usuário casual que só precisa de um aparelho para tirar fotos e acessar as redes sociais, até mesmo equipamentos mais robustos para jogar online ou realizar diversas tarefas sem parar. 

Xiaomi Mi 9 – Considerado o melhor de 2019

O aparelho possui câmera tripla traseira, com sensor principal de 48 MP. Além disso, este smartphone possui um processador Snapdragon 855 da Qualcomm, um dos mais avançados da atualidade, que junto à memória RAM de 6 GB garante desempenho veloz! O aparelho pode executar jogos e outros aplicativos pesados sem travamento. É uma Super Máquina em suas mãos. 

Ficha técnica do Xiaomi Mi 9: Tela de 6,39 polegadas Full HD+, Processador Snapdragon 855, Memória RAM de 6 GB, Câmera tripla traseira de 48 MP + 16 MP + 12 MP, Câmera frontal de 20 MP, Armazenamento: 64 GB ou 128 GB, Internet 4G, 3G e Wi-Fi, Bateria: 3.300 mAh e Sistema operacional de fábrica: Android 9.0 Pie! 

Foi um dos aparelhos mais vendidos na Blackfriday, ele custa por volta de R$ 2999. 

Xiaomi Mi 9T Pro – Ele possui uma câmera pop-up frontal 

Mais smartphone com o processador Snapdragon 855, o Mi 9T Pro também devem garantir um desempenho bastante acima da média, sendo capaz de rodar qualquer aplicativo da Play Store. Seu grande diferencial é a câmera pop-up, que fica escondida sob a tela e aparece apenas na hora de tirar uma selfie, algo inimaginável foi feito e provavelmente se tornará uma tendência para as próximas gerações de aparelho. O recurso permite que o display tenha maior aproveitamento da área frontal do celular, sem a necessidade de ter o ‘notch’ ou famosa franjinha na tela, no entanto há questões sobre o quão frágil pode ser o sistema motorizado.

A tela do Mi 9T Pro usa tecnologia Super AMOLED e tem resolução Full HD+, o tamanho é de 6,39 polegadas, com as mesmas dimensões do Mi 9. A bateria é ligeiramente maior em capacidade: 4.000 mAh. Esse aparelho custa por volta de R$ 2500, consegue encontrá-lo no Kabum.

Ficha técnica do Xiaomi Mi 9T Pro: Tela Super AMOLED de 6,39 polegadas Full HD+, Processador Snapdragon 855, Memória RAM de 6 GB ou 8 GB, Armazenamento de 64 GB, 128 GB ou 256 GB (sem espaço para microSD), Câmera tripla traseira de 48 MP (f/1.8) + 8 MP (f/2.4) telefoto + 13 MP (f/2.4) ultra-wide, Câmera frontal pop-up de 20 MP (f/2.2), Bateria de 4.000 mAh e Sistema operacional de fábrica: Android 9.0 Pie.

Xiaomi Mi 9T: Mais barato que a versão PRO e com câmera pop-up!

Achou incrível a ideia da câmera do modelo PRO? Saiba que é possível ter essa mesma tecnologia gastando quase 700 a menos! Esse celular é uma variante da linha Mi 9 com processador menos potente do que o top de linha da marca. Ainda assim, promete um ótimo desempenho em tarefas exigentes. O grande destaque fica por conta da câmera frontal pop-up de 20 MP, que fica escondida sob a tela, exatamente como na versão PRO, proporcionando maior aproveitamento do display, e aparece apenas quando a o modo de selfies é acionado.

Outros pontos positivos são a tela AMOLED Full HD+ com leitor de digitais embutido e a bateria de 4.000 mAh, que promete bom fôlego para uma jornada de trabalho longe das tomadas.

Ficha técnica do Xiaomi Mi 9T: Tela AMOLED de 6,39 polegadas Full HD+, Processador: Qualcomm Snapdragon 730 (octa-core de até 2,2 GHz), Memória RAM de 6 GB, Armazenamento de 64 GB ou 128 GB, Câmera frontal: 20 MP, Câmera traseira tripla: – Sensor principal de 48 MP, – Lente grande-angular com sensor de 13 MP, – Lente teleobjetiva com sensor de 8 MP,  Bateria: 4.000 mAh, Android 9.0 Pie e Leitor de impressões digitais.

Incrível né? E tudo isso por apenas R$ 1890. Com certeza é o presente de natal ideal.

Certo, já falei dos modelos que mais se destacam, mas cadê os custos benefícios? Aqueles aparelhos baratinhos e acessíveis para todos com preço de celular de entrada mas que possuí desempenho de intermediário? Vamos a lista!

Redmi Note 8: Câmera quádrupla a partir de R$ 1120!

Sucessor do popular Redmi Note 7 lançado no início de 2019, o Redmi Note 8 é uma versão do smartphone intermediário premium que conta com algumas melhorias pontuais em câmera e desempenho. Ele mantém sensor principal de 48 MP para fotos, mas dessa vez traz mais duas lentes para aumentar as possibilidades em composições, algo inimaginável para um aparelho tão barato. O conjunto de câmeras inclui uma lente macro, para capturar detalhes próximos, e um sensor de profundidade, para aprimorar o Modo Retrato, além da lente grande-angular com sensor de 8 MP, incrível né?

O processador do Redmi Note 8 é o Snapdragon 665, que promete bom desempenho para a maioria dos usuários, e deve lidar bem com tarefas exigentes do dia a dia. A memória RAM de 4 GB deve ser o suficiente para evitar travamentos a executar apps em segundo plano ou simultaneamente. Esse aparelho é recomendado para usuários intermediários que não jogam no celular e que precisam de uma boa câmera para tirar fotos.

Ficha técnica do Redmi Note 8: Tela de 6,3 polegadas Full HD+, Processador Qualcomm Snapdragon 665 octa-core de até 2 GHz, Memória RAM de 4 GB, Armazenamento de 64 GB, Câmera quádrupla traseira de 48 MP (f/1.8) + 8 MP (f/2.2) + 2 MP (f/2.4) + 2 MP (f/2.4), Câmera frontal de 13 MP (f/2.0), Internet 4G, 3G e Wi-Fi, Dual chip, Bateria de 4.000 mAh e Android 9.0 Pie.

Sobre o Autor

Forbiddeen