Cidadania

Capital da Nova Zelândia abre mercado grátis para combater desperdício

Escrito por Ana Dalila

[ad_1]

Toneladas de alimentos são desperdiçados no mundo inteiro por razões diversas. Dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), estimam que cerca de 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são desperdiçados anualmente, ao mesmo tempo em que milhões de pessoas passam fome. Mas, em Wellington, na Nova Zelândia, uma organização está fazendo a sua parte: distribuindo os itens que seriam jogados no lixo gratuitamente.

Chamada de Free Store, a mercearia começou como um projeto temporário, há cerca de sete anos, pensado pelo artista Kim Paton. Felizmente, a ideia vingou e o que era para durar duas semanas, virou uma iniciativa permanente. Hoje, a loja enche suas prateleiras com alimentos excedentes de padarias e supermercados.

Mas, qualquer morador pode chegar e levar? Segundo o co-fundador Benjamin Johnson, não há nenhum tipo de restrição. “Não há condições sobre quem pode chegar à The Free Store. Não há critérios. Qualquer um pode vir por qualquer motivo e levar o que quiser”, garante.

Foto: Free Store/Divulgação

Foto: Free Store/Divulgação

O mercado gratuito tem o apoio de voluntários, doadores e cerca de 65 fornecedores, localizados em torno do centro da cidade de Wellington. De acordo com Johnson, a Free Store distribui entre 800 a 1.500 itens alimentares a cada sexta-feira entre as 18h e as 19h, com média de cerca de 250 mil itens alimentares -; o que equivale a um milhão de dólares de alimentos economizados por ano.

Vale lembrar também o desperdício representa 10% das emissões globais da agricultura. Um estudo do Instituto de Pesquisa sobre o Impacto Climático de Postdã mostrou que esse número pode aumentar de 0,5 para 2,5 gigatoneladas as emissões de CO2e até 2050.

A Free Store já possui quatro lojas em toda a Nova Zelândia.

(280)

[ad_2]

Sobre o Autor

Ana Dalila