Negócios

Uber usou programa secreto para enganar autoridades no mundo todo

Escrito por Vinnícius Lopes

A Uber vem enfrentando diversos problemas ultimamente. Além de acusações de assédio sexual, da briga de seu CEO e um motorista e do apoio a Trump, que causou um boicote à companhia, ainda vem mais por aí.

Ex-funcionários relataram ao jornal norteamericano The New York Times que a empresa está, há anos, em um programa mundial para enganar autoridades em mercados onde seu serviço de transporte estava sofrendo resistência por agências regulatórias ou, em alguns casos, tinha sido banido.

Segundo eles, a Uber utiliza uma ferramenta chamada Greyball que identifica dados do app e utiliza técnicas para escapar das autoridades em cidades como Boston, Paris e Las Vegas, e em países como Austrália, China, Itália e Coréia do Sul.

A ferramenta faria parte de um programa mais amplo chamado VTOS, abreviação de “violação dos termos de serviço”, que a Uber havia criado para monitorar pessoas que utilizam seu serviço de forma inadequada.

Com o recurso, por exemplo, se alguma autoridade chamasse um carro da Uber para verificar se realmente estava em operação – no caso de estar operando ainda sem autorização -, o cliente/fiscal na verdade estaria vendo carros fantasmas no app, que nunca chegariam para o flagrante. Enquanto isso, motoristas eram avisados a não buscá-los. A ferramenta seria responsável por identificar este tipo de situação.

O jornal afirma que o Greyball mostra até que ponto a empresa está disposta a ir para dominar o seu mercado, violando leis, manipulando pessoas, e passando por cima das concorrentes para aumentar sua receita, que atualmente beira os US$ 70 bilhões.

 

Share Button

Sobre o Autor

Vinnícius Lopes