Fitness & Nutrição

Sedentarismo e Atividade Física – Mente Fitness Group

Escrito por Giovanna Campos

Sedentarismo é algo que todos nós devemos combater e a prática de qualquer atividade física é uma forte aliada nesta luta diária.

 

Segundo o dicionário Aurélio, sedentário é 1 – o que ou quem está sempre sentado, 2 – que ou quem sai pouco, fica geralmente em casa ou é inativo.

E sabemos que à atividade física é qualquer movimento que fazemos com o nosso corpo, como o andar, por exemplo. Diferente do exercício físico que é como uma serie de atividades físicas agrupadas de forma bem definida e programada, geralmente com um início, meio e fim.

No dia 04 de Junho a OMS (Organização Mundial da Saúde), lançou um plano de ação mundial sobre a atividade física e saúde para 2018 a 2030.

E foi com estas palavras que o plano foi lançado:

“Ser ativo é fundamental para a saúde. Mas no mundo moderno, isso está se tornando cada vez mais um desafio, em grande parte porque nossas cidades e comunidades não são projetadas da maneira correta”, disse Tedros. “Precisamos de líderes em todos os níveis para ajudar as pessoas a terem uma vida mais saudável. Isso funciona melhor em nível de cidade, onde a maior responsabilidade é criar espaços mais saudáveis”.  

praticantes-de-esportes-2015-por-regiaoOs dados são bem claros quando apontam que em todo mundo 1 em cada 5 adultos e 4 em cada 5 adolescentes (entre 11 e 17 anos) não praticam atividade física suficiente.

praticantes-de-esporte-2015Ainda reforça que: A atividade física regular é fundamental para prevenir e tratar doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs), como as cardíacas, acidentes vasculares cerebrais, diabetes e câncer de mama e de colo do útero. Essas enfermidades são responsáveis por 71% de todas as mortes no mundo, incluindo as mortes de 15 milhões de pessoas por ano entre 30 e 70 anos.

Segundo a OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde), a inatividade física é mais do que um desafio para a saúde: seus custos financeiros também são enormes. Globalmente, estima-se que a inatividade física custe US$ 54 bilhões em assistência médica direta, dos quais 57% são incorridos pelo setor público e outros US$ 14 bilhões são atribuídos à perda de produtividade.

Segundo a revista Apólice (voltada para o negócios de seguros), em sua matéria de 23 de abril de 2017, Dados do IBGE 2017 ainda revelam os principais motivos pelos quais os brasileiros não praticam atividades físicas: 51% da população declararam que são sedentárias pela falta de tempo, 20,3%, por problemas saúde ou pela alta idade, além de 13,9% dizerem que não praticam atividades por não gostarem ou não terem vontade.

Na Diretriz Brasileira de Obesidade do ano de 2016, presente no site da ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica), podemos entender tudo que é necessário sobre o tema e além disso saber como identificarmos se estamos no índice obeso ou não.

classificacao-IMCDe acordo com a ABESO, na população brasileira, tem-se utilizado a tabela proposta pela OMS para classificação de sobrepeso e obesidade e seu uso apresenta as mesmas limitações constatadas na literatura. Apresenta, no entanto, semelhante correlação com as comorbidades. Portanto, o ideal é que o IMC seja usado em conjunto com outros métodos de determinação de gordura corporal. A combinação de IMC com medidas da distribuição de gordura pode ajudar a resol- ver alguns problemas do uso do IMC isolado.

Em matéria lançada no dia 05 de setembro de 2018, no site da EBC (Empresa Brasil de Comunicação), baseado no relatório da OMS, na América Latina, o Brasil é o país com o maior índice de sedentarismo, 47% da população não praticam atividade física suficiente para se manter saudável.

Segundo o Ministério do Esporte, o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, aliado ao IBGE, alguns dados presentes em sua cartilha de 2015, seis em cada dez pessoas (62,1%) com 15 anos ou mais não praticaram esporte e/ou atividade física entre setembro de 2014 e setembro de 2015, contra 37,9% que praticaram. Em termos de população projetada, são mais de 100 milhões de sedentários e 61,3 milhões que se consideram mais ativos.

Com base em todas estas informações podemos levantar uma série de problemas relacionadas a inatividade física e várias doenças e não apenas a questão da obesidade.

obesidade-sudesteobesidade-sul

Estudos epidemiológicos demonstram que a inatividade física aumenta substancialmente a incidência relativa de doença arterial coronariana (45%), infarto agudo do miocárdio (60%), hipertensão arterial (30%), câncer de cólon (41%), câncer de mama (31%), diabetes do tipo II (50%) e osteoporose (59%) (GUALANO e TINUCCI, 2005).

obesidade-norteobesidade-centrooeste

Ainda segundo Gualano e Tinucci (2005), O indivíduo sedentário não pode  ser considerado saudável, a (re)-inserção da atividade física na vida do homem moderno é essencial à manutenção da função normal (fisiológica) do organismo,  o exercício físico é barato, não patenteável, seguro e,  se corretamente recomendado, capaz de reduzir sobremaneira a necessidade de medicamentos e cabe ao profissional de Educação Física capacitar-se a fim de prescrever o exercício com eficácia e segurança a toda população.

obesidade-nordeste

Referências:

 

GUALANO, Bruno; TINUCCI, Taís. Sedentarismo, exercício físico e doenças crônicas. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 25, p. 37-43, 2011.

https://www.revistaapolice.com.br/2018/04/sedentarismo-mata-300-mil-brasileiros-ano/

https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5692:oms-lanca-plano-de-acao-global-sobre-atividade-fisica-para-reduzir-comportamento-sedentario-e-promover-a-saude&Itemid=839

http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2018-09/america-latina-tem-maior-indice-de-sedentarios-brasil-lidera

http://www.esporte.gov.br/index.php/ultimas-noticias/209-ultimas-noticias/57492-pesquisa-indica-alto-grau-de-sedentarismo-e-reforca-que-investimento-publico-em-esporte-e-essencial

 

Verner Roberto , Graduado em Web Design e Graduado em Educação Física. Pós-Graduando em Reabilitação de Lesões e Doenças Musculosesqueléticas. Gerente comercial e imprensa Mente Fitness. Curioso, apaixonado por Futebol, Treinamento Funcional, Musculação e Exercício como Qualidade de Vida. Tem como foco principal especializar-se em atividades físicas para 3ª Idade. Trabalhou como Prof. Estagiário de Musculação na Academia R2 , Topfit, Hi Academia, Estudio ACCEL e sócio proprietário do Mente Fitness Group.


Comentários

Suplementos importados no iPUMPSHOPClique aqui!

Sobre o Autor

Giovanna Campos