Meio Ambiente

Pesquisa mostra que latinos que vivem nos EUA estão mais preocupados com clima

Escrito por Ana Dalila

[ad_1]

Um novo estudo lançado hoje nos Estados Unidos revela que, na comparação com não-latinos, a comunidade latina dos EUA está mais convencida de que o aquecimento global é uma realidade presente e que é causada pela atividade humana.  O relatório Climate Change in the Latino Mind foi publicado pelo Yale Program on Climate Change Communication.  Ele mostra que os latinos dos EUA estão mais preocupados com o assunto, apóiam as políticas climáticas e estão mais dispostos a exigir ação política a respeito. O levantamento ainda indica que latinos de fala hispânica são mais comprometidos com a questão das mudanças climáticas do que os latinos de língua inglesa.

“Esses resultados reafirmam que o apoio global à ação sobre as mudanças climáticas está vivo e bem entre todos os segmentos da sociedade”, destaca Christiana Figueres, ex-Secretária Executiva da Convenção Clima. “Não é surpreendente ver a profunda preocupação com o aquecimento global que existe na comunidade latina nos EUA, afinal, os impactos são difíceis de ignorar. O compromisso da comunidade latina com a ação também é encorajador, pois reflete o apoio irresistível das nações latino-americanas e do mundo durante as negociações climáticas realizadas em Paris”.

De acordo com a pesquisa, mais de oito em cada dez latinos (84%) acreditam que o aquecimento global existe, incluindo quase nove em dez latinos de língua espanhola (88%).  Sete em cada dez latinos (70%) entendem que o aquecimento global é em grande parte o resultado de atividades humanas, incluindo três quartos dos latinos de língua espanhola (76%).

image001

Três em cada quatro latinos (78%) estão preocupados com o aquecimento global; um em cada três (35%) está “muito preocupado”, incluindo 43% dos latinos de língua espanhola, que estão “muito preocupados”.  Três em cada quatro latinos também querem que as empresas e a indústria (77%) façam mais para enfrentar o problema de aquecimento global.  Sete em cada dez latinos (71%) nunca foram contatados por uma organização que trabalha para reduzir o aquecimento global.

“Este relatório confirma o que vimos historicamente: os latinos estão extremamente preocupados com as mudanças climáticas e estão prontos para agir”, disse Adrianna Quintero, fundadora da Voces Verdes e Diretora de Parcerias da NRDC. “À medida que enfrentamos os impactos cada vez mais terríveis do clima extremo e outros impactos climáticos, devemos fazer um melhor trabalho ao envolver os latinos de todos os setores da vida para exigir ação e garantir que nossas comunidades estejam protegidas”.

Um grande número de latinos está disposto a tomar medidas políticas sobre as mudanças climáticas, inclusive uma maioria disposta a votar em um candidato em cargos públicos por sua posição contra o aquecimento global (60%). A maioria dos latinos também está disposta a participar de uma campanha para persuadir os representantes eleitos a tomar medidas para reduzir o aquecimento global (51%), incluindo 61% dos latinos de língua espanhola.

Para Anthony Leiserowitz, pesquisador principal, da da Universidade de Yale, “Os latinos representam uma ótima oportunidade para a comunidade climática criar vontade política para promover a ação climática.  A maioria deles está disposta a se juntar a uma campanha para convencer seus representantes eleitos a tomarem medidas relativas às mudanças climáticas, mas muitos deles ainda permanecem à margem desse processo”, detalha.

image003

(0)

[ad_2]

Sobre o Autor

Ana Dalila