Meio Ambiente

Mortes de animais marinhos sufocados por sacolas cai 67% no Quênia

Escrito por Ana Dalila

Produzir e utilizar sacolas de plástico está proibido no Quênia desde agosto do ano passado e desde que a lei entrou em vigor já foram observados alguns resultados, como a queda drástica no número de mortes de animais marinhos por sufocamento provocadas por sacolas plásticas, por exemplo.

Antes da proibição de sacolas, três a cada 10 animais marinhos encontrados por profissionais haviam morrido por terem sufocado com sacolinhas. Até abril, oito meses após a sanção da lei, o número já havia caído para uma morte por sufocamento a cada 10 animais encontrados pelos ambientalistas. Diretamente, isso representa uma queda de 67% nas mortes por sufocamento.

Punição e multa

A decisão do Quênia ficou conhecida no mundo por ser considerada muito dura. A punição para quem burlar a lei é de $40 mil dólares americanos e até quatro anos de prisão. A multa pode ser aplicada em caso de fabricação, comercialização e até uso de sacolas plásticas no país.

Vale lembrar que o Quênia já foi um dos maiores exportadores de sacolas plásticas do mundo e tanto a indústria quanto a população do país ficaram impactados com a decisão. Apesar disso, a lei se manteve e já apresenta resultados positivos.

Leia também: Efeitos da proibição de sacolas plásticas já são percebidos no litoral do Quênia

Sobre o Autor

Ana Dalila