Negócios

Juros baixos da poupança, vale a pena investir?

Em julho do ano passado o Banco Central do Brasil (BCB) reduziu a Selic (Taxa Básica de Juros) para 9,25% ao ano, ante 10,25% vigente até então, o que representa uma péssima notícia para quem investe na conta poupança. E o cenário pode ficar ainda pior com um novo corte para abaixar ainda mais a taxa para 8,5% ao ano.

A poupança não é a única afetada com o corte da taxa Selic, visto que todos os investimentos estão sofrendo com a nova medida do BCB.

Entretanto, o maior prejudicado nesta história são os investidores, pois a poupança é um dos artifícios mais utilizados pelos brasileiros para fazer o dinheiro render, devido a sua segurança e facilidade de transação que não exigem praticamente nada.

Para investir em uma caderneta, basta colocar o dinheiro e deixá-lo render sem dedução do IR (Imposto de Renda) como nos demais investimentos.

Portanto, se o seu dinheiro está parado na conta poupança, é hora de começar a procurar outros investimentos disponíveis no mercado que prezam pela mesma segurança e facilidade de manuseio.

Tesouro Direto pode ser uma alternativa

Dentre as alternativas, merece destaque o tesouro direto, uma vez que esse investimento não exige esforço do investidor, precisando apenas se preocupar em aumentar o dinheiro depositado mês a mês e aguardar o término do contrato.

Ao invés de tratar com um banco, é preciso procurar uma corretora. Algumas delas possuem plataforma totalmente digital, ou seja, não é preciso ir até a agência física ou telefonar para um atendente solicitando informações sobre o investimento.

CDB ainda é atraente com 100% de CDI

Com a poupança enfrentando este problema, o CDB, siga para Certificado de Depósito Bancário continua sendo uma opção rentável nas situações em que os bancos ofereçam um CDI (Certificado de Depósito Interbancário) de, no mínimo, 100%. Vale ressaltar que o CDI equivale a taxa Selic e é muito utilizada pelo mercado financeiro.

Nos grandes bancos não é difícil encontrar a taxa entre 85 e 100%. Com as taxas girando neste nível, a liquidez é diária, isto é, você pode sacar o dinheiro ao final de cada dia.

Os tesouros IPCA e Selic

Ao contrário do tesouro direto, nos tesouros IPCA e Selic você não precisa esperar vários anos para retirar o investimento. Em seis meses, por exemplo, já é possível fazer uma movimentação na conta. Isso acontece pelo fato do IPCA pagar a inflação do período somadas as taxas de juros, o que acaba sendo bem atrativo para os investidores.

Vale frisar que, mesmo retirando o dinheiro em seis meses e enfrentando taxas maiores, o Tesouro IPCA e Selic vão render mais que a poupança.

Fundos Multimercados

Provavelmente a longo prazo investimentos como poupança, fundos DI, e CDB´s podem render menos de acordo com os cortes na taxa Selic. Dessa forma, para manter a lucratividade, é preciso olhar mais a frente e arriscar um pouco mais.

Uma das opções são os fundos multimercados que possuem ótima rentabilidade e liquidez, mas possuem riscos maiores.

Como as principais aplicações deste fundo são baseadas em ações, taxas de juros e derivativos, é preciso estar atento às futuras instabilidades e saber que, quanto maior o investimento, maior é o lucro e o risco. Sendo assim, antes de passar para esta etapa, analise friamente os números e averigue se você não perderá dinheiro.

Esse nível de instabilidade, portanto, pode ser um tiro no pé e, por isso, uma excelente alternativa é pensar em outras soluções que sejam ao mesmo tempo seguras e com boa rentabilidade para garantir o futuro sem passar aperto.

Sobre o Autor

Forbiddeen