PET

Hipotermia em cães

Escrito por Escobar Dog

A hipotermia em cães é algo que deve nos preocupar, especialmente nos meses de inverno. Quando falamos sobre esse processo, nos referimos ao fato do corpo de nosso animal de estimação atingir uma temperatura muito baixa, a ponto de colocar em risco sua sobrevivência.

Quando a hipotermia ocorre em cães?

A hipotermia em cães ocorre a partir de 32ºC, já que a temperatura normal de um cão deve ser um pouco maior que a humana: em torno de 38ºC. Entretanto, quando a temperatura cair abaixo de 35ºC, isso já deve nos alertar.

Esta condição pode ocorrer devido a temperaturas particularmente baixas no exterior. No caso dos filhotes, estes são especialmente vulneráveis, principalmente após o nascimento, por isso pode acontecer mesmo que não esteja muito frio.

Hipotermia em cães após operações

A hipotermia em cães também pode ocorrer após procedimentos cirúrgicos. O fato de se abrir a cavidade abdominal para muitas operações, expõe o interior de nosso animal de estimação até a menos 10 graus de temperatura, de modo que, em operações longas, a baixa temperatura expõe as vísceras ao meio ambiente sem a proteção da gordura, da pele e da pelagem.

Esta é a razão pela qual uma castração ou outras operações têm períodos de vigilância pós-cirúrgica, o nosso cão permanece por pelo menos uma hora sob observação na clínica, onde a temperatura é monitorada de vez em quando, para garantir que ela suba, embora não excessivamente rápido: normalmente, recomenda-se que a temperatura suba um grau por hora.

Normalmente, em hospitais veterinários, isso é resolvido com cobertores elétricos e aquecimento nas áreas de internação, pois se trata de um bom método contra a hipotermia em cães.

Quais são os sintomas de hipotermia em cães?

Normalmente, a hipotermia em cães começa a causar sinais de fraqueza e tremores e, obviamente, a diminuição na temperatura do corpo deverá ser verificada pela introdução de um termômetro de humanos no ânus de nosso pet, para monitorar os números discutidos acima.

Uma hipotermia mais severa apresenta sinais de rigidez muscular e dificuldades respiratórias, além de uma diminuição no pulso que praticamente parece imperceptível. Uma hipotermia severa levará o animal ao coma e, depois, a morte.

Um local onde a hipotermia é bem notada é nas orelhas: se você perceber esses sintomas, mas não tiver um termômetro, orelhas geladas e tremores frios podem indicar que seu cão está começando a sofrer de hipotermia. O frio também pode produzir sintomas semelhantes aos de uma desidratação no nível da pele, de modo que o nosso animal de estimação poderá ficar com a pele firme e seca.

Como a hipotermia em cães é tratada?

A temperatura do nosso animal de estimação deverá ser aumentada. Na hipotermia leve, será suficiente levar o nosso animal a um lugar quente e cobri-lo com um cobertor, enquanto verificamos se a temperatura dele aumenta. No entanto, em casos mais graves, será preciso o uso de aquecedores e uma visita ao nosso veterinário. É que, se piorar, nosso animal de estimação poderá morrer de hipotermia.

Cão na neve

A hipotermia será especialmente grave quando ela causar problemas de mobilidade: a hipotermia em cães poderá prejudicar as almofadinhas das patas e produzir fraqueza muscular e paralisia. Se você perceber que o seu cão sofre de problemas de mobilidade, depois de passar o dia em um lugar frio, você deverá levá-lo imediatamente ao veterinário.

Se você estiver indo para um local muito gelado, é importante proteger o seu pet do frio, colocando nele casacos projetados para isso: lembre-se, há uma clara diferença entre vesti-los com roupas para nos agradar e com a intenção de protegê-los do frio e da chuva.

E, como sempre recomendamos, é vital para cuidarmos de nosso animal de estimação que as doenças sejam tratadas por profissionais qualificados e que não sejam ignoradas.

 


Notícias sobre Pets

Sobre o Autor

Escobar Dog