Meio Ambiente

Entenda como o aquecimento global afeta os recifes de corais

A estimativa dos pesquisadores é de que o aumento nas temperaturas ocasione a perda de 38% dos corais em todo o mundo.

Ao longo das últimas décadas, pesquisadores em todo o mundo têm se dedicado a estudar os efeitos das mudanças climáticas nos oceanos. Entre os organismos marinhos, um dos mais afetados são os recifes de corais que, consequentemente, prejudicam a sobrevivência de outras espécies.

Em 1998, uma grande onda de calor aqueceu os oceanos e matou 16% dos corais em todo o mundo. O aumento da temperatura, que segundo os cientistas foi causado pelo El Niño, foi considerado o primeiro grande evento mundial de branqueamento de corais. O desastre se repetiu em 2010 e, de acordo com a Organização Norte-Americana de Administração Atmosférica e Oceânica (NOAA), neste ano deve acontecer a terceira leva de perda.

A estimativa dos pesquisadores é de que o aumento nas temperaturas ocasione a perda de 38% dos corais em todo o mundo, isso seria equivalente a 12 mil quilômetros de recifes afetados.

O fenômeno de branqueamento em massa é causado pelo aquecimento do oceano. Os corais não conseguem suportar picos de altas temperaturas por um período longo de tempo, quatro a seis semanas já é suficiente para afetá-los. Quando a influência disso na vida marinha é colocada em cheque, percebe-se que o estrago é enorme.

Apesar de representar apenas 0,1% do fundo dos oceanos, os corais ajudam a manter 25% das espécies marinhas. Além disso, eles também influenciam diretamente os humanos, auxiliando a subsistência de 500 milhões de pessoas e gerando, em média, US$ 30 bilhões anuais.

Organizações de pesquisa e investimentos climáticos estão trabalhando para conseguir mapear as áreas afetadas, estudar as condições e os impactos, a fim de controlar ou, ao menos, reduzir as consequências do aquecimento global nas espécies marinhas.

Clique aqui para ter mais informações sobre o terceiro grande branqueamento de corais.

Fonte: CicloVivo