Curiosidades

Cinco melhores (ou piores) vilãs das novelas mexicanas!

Escrito por Forbiddeen

O exagero do melodrama, as atuações caricatas e a pobreza de investimento também tem “seu charme” e, dependendo da novela, pode acabar sendo bem viciante, não é mesmo? Quem aí não fez maratona de “A Usurpadora”? Portanto, decidimos selecionar hoje as cinco melhores (ou piores) vilãs das novelas mexicanas.

  1. Marimar – Novela de mesmo nome

Sim, quem não conhece a fundo as novelas pensam que a Thalia sempre faz o papel de “Maria é uma menina chorona, pobretona, que se apaixona, que se ferra mil vezes na vida, mas que no final dá tudo certo”. Há um “Q” de verdade nisso, mas a Marimar se destaca por ela acabar se tornando uma espécie de vilã vingativa após sofrer muito durante a primeira fase da novela.

O mais legal é que ela se supera por seus próprios méritos e acaba ficando bem orgulhosa de ter chegado “tão alto” em “tão pouco tempo”, e após herdar um dos cassinos do seu pai, conhecido como o Clube do Vale Encantado, onde há diversos tipos de jogos (no Brasil, esses serviços podem ser encontrados em cassinos online).

Com essas circunstâncias, ela passa a ser tão ruim, ou pior, com aqueles que fizeram mal a ela, representando uma dualidade entre bondade e maldade. No fundo ela é boa, mas não tem “freios” em prejudicar aqueles que fizeram mal a ela.

  1. Rubi – Novela de mesmo nome

Diferente da Marimar, essa é ruim pelo simples fato de “ser ruim”, sendo mais uma protagonista mexicana que também é a vilã, o que torna a série mais legal.

A Rubi é ambiciosa, vingativa, não tem caráter e utiliza sua beleza e poder de sedução para roubar o marido da melhor amiga, a qual tem uma inveja bem desmedida por ela ser rica, enquanto a própria Rubi é pobre.

O grande destaque vai para a atriz Barbara Mori, que realmente é muito linda e cabe perfeitamente no papel da Rubi. Muitos a comparam com a Megan Fox, mas nós do Spin-off achamos que ela é mais bonita que a Megan.

  1. Paola Bracho – A Usurpadora

Não há uma lista de vilãs de novela mexicana em que a Paola Bracho não esteja, e nesta aqui não pode ser diferente. Vilã de “A Usurpadora”, esta novela tem a premissa bem básica e clichê de duas irmãs gêmeas, uma boa e uma má, sendo que cada uma delas entra na caricatura de suas funções.

O negócio é que a vilania da Paola Bracho é tão absurda e tão estereotipada, que acaba ficando engraçado pelo “trash”.

  1. Soraya Montenegro – Maria do Bairro

Por falar em atuações caricatas e “trash”, a Soraya é o grande destaque da novela Maria do Bairro. Ela é tão mal educada, desbocada, histérica e ruim, que ao invés de despertar repulsa dos espectadores, ela acaba gerando empatia por ser engraçada.

Frases como “aleijada dos infernos” para a enteada dela que é cadeirante, ou então a cena em que o filho da Maria do Bairro beija esta última e a Soraya diz: “Por que você está beijando a aleijada?!” estão na mente de muitas pessoas até hoje.

  1. Catalina Creel – Ambição

Catalina Creel matou tanta gente ao longo da novela e era tão ruim que acabou chamando a atenção dos amantes das novelas mexicanas. Seu visual chamava a atenção por um tapa-olho, já que ela fingia ser cega de um deles, quando na verdade enxergava por ambos. Grande sucesso mexicano, a novela “Ambição” é considerada um dos maiores clássicos da teledramaturgia.

Sobre o Autor

Forbiddeen