Geek

Carros autônomos podem agravar a desigualdade, alertam cientistas

Escrito por Paulo Carmino

Compartilhe as ruas!

Os defensores dos carros autônomos argumentam que, ao tirar pessoas propensas a erros das ruas — pessoas que podem errar ao dirigir nas ruas das cidades –, haverá menos acidentes e menos tráfego.

Mas um novo estudo  mostra que isso pode não ser verdade, já que estradas cheias de veículos autônomos poderiam piorar o congestionamento nas estradas e aumentar a desigualdade nas grandes cidades.

Os autônomos e a crise no trânsito

Imagem: O trânsito nas cidades brasileiras é um caos sem os carros autônomos… Imagine com eles!

A pesquisa, conduzida por uma organização sem fins lucrativos chamada Union of Concerned Scientists, focou especificamente no impacto que veículos autônomos podem ter na área de Washington DC.

Em última análise, a pesquisa sugere que a introdução de veículos autônomos na área aumentaria o tráfego em 66%, e que o congestionamento adicional provavelmente beneficiaria os ricos e tiraria oportunidades das comunidades de baixa renda.

“De um jeito ou de outro, essa tecnologia está chegando. Esses carros já estão sendo testados nas cidades ”, disse Richard Ezike, principal autor do estudo, em um comunicado publicado pela organização. “Se não planejarmos e definirmos políticas conscientes, os carros sem motorista poderão exacerbar os desafios que vemos hoje nos transportes – especialmente para as comunidades carentes”.

Melhor andar de ônibus…

Os pesquisadores argumentam que as cidades que introduzem veículos autônomos também devem investir no transporte público, para garantir que aqueles que têm mais comutações e ficassem presos no congestionamento recém-introduzido, ainda possam conseguir chegar a seus postos de trabalho.

O relatório também sugeriu impor uma multa para qualquer viagem de veículo autônomo de um passageiro para estimular a carona e diminuir o número de veículos novos que enchem as ruas.

Resultado de imagem para carros autonomos
Imagem: Carros que transportassem somente uma pessoa poderiam ser multados por não contribuir para a diminuição de veículos nas ruas e, consequentemente, os congestionamentos

“Precisamos pensar cuidadosamente sobre como integrar veículos automatizados em nossas vidas diárias”, disse Ezike. “Precisamos priorizar as pessoas, não veículos, e criar políticas fortes para incentivar os motoristas e empresas de compartilhamento de passeios a usar esses veículos de uma maneira que reduza o congestionamento, reduza as emissões e promova o acesso equitativo”.

Fonte: Futurism

Comentários


Editor

Wesley Macedo

Graduando em Comunicação Social- Jornalismo. Vejo no meio web a forma mais compacta e ao mesmo tempo divertida de fazer jornalismo. Gosto de curtir cada momento da vida.


Outras notícias parecidas


Sobre o Autor

Paulo Carmino