PET

A vida do caracol: com a casa nas costas

Escrito por Escobar Dog

Simpático, protagonista de canções infantis, anedotas e histórias, este pequeno animal sempre despertou nossa curiosidade. Seria por causa de seu modo particular de viver com a casa nas costas? Ou talvez por causa da lentidão de seu deslocamento? A verdade é que a vida do caracol desperta o interesse de crianças e adultos.

Conhecendo o caracol

Caracol é o nome comum pelo qual os moluscos gastrópodes são conhecidos. Quais são as características desses animais?

  • Eles são invertebrados. O grupo inclui milhares de espécies que possuem diferentes anatomias e comportamentos.
  • Os mais conhecidos são os terrestres, porque são vistos com mais frequência. No entanto, existem numerosas espécies marinhas.
  • A maioria tem uma concha em espiral. Essa é a “casinha” que ele carrega. Quando nascem, esta casca é muito frágil, porém, à medida que se desenvolvem, ela é fortalecida com cálcio. O animal segrega os componentes necessários para fazer isso.
  • A parte inferior do caracol é chamada de pé. É altamente muscular e por contração permite o movimento do animal. Essa possibilidade de movimento é beneficiada pela secreção de uma substância gelatinosa e escorregadia, que facilita os movimentos.

Como é a vida do caracol?

 1. Reprodução 

  • A maioria dos caracóis é hermafroditaIsso faz com que eles produzam células reprodutivas masculinas e femininas. Em muitos casos, pode ser necessário que eles acasalem entre si, porque não podem se autopolinizar. Aparentemente, também preferem a reprodução sexuada ao hermafroditismo.
  • A primavera e o verão são os momentos mais favoráveis ​​para a reprodução. Eles copulam à noite, e se a fertilização for eficaz, a postura será realizada nos dias seguintes.
  • Um caracol pode depositar até 100 ovos. Ele os enterra em um pequeno buraco de cerca de dois centímetros de profundidade que cava no chão. Os caracóis terrestres costumam botar ovos uma vez por mês.

2. Desenvolvimento

  • Quando o caracol ainda é um embrião dentro do ovo, sua casca começa a se desenvolver. Normalmente, os nascimentos ocorrem entre duas semanas e um mês após a postura. Então, surgem pequenos caracóis que já possuem uma casca muito pequena e fraca, e um corpo transparente.
  • Imediatamente eles começam a se alimentar. Como precisam principalmente cálcio, alimentam-se de outros recém-nascidos mortos e ovos que não eclodiram.
  • Crescem muito rapidamente, embora poucos sobrevivam. Os caracóis atraem inúmeros predadores que atacam principalmente os espécimes mais jovens.
  • A vida média de um caracol é de dois a cinco anos em condições naturais. No entanto, em cativeiro, eles conseguem viver até mais de 10 anos. Com alimentação controlada e livre de inimigos, sua expectativa de vida cresce.

3. Hibernação ou estivação

Algumas espécies de caracóis experimentam períodos de letargia, de estivação, se for no verão, e de hibernação, se ocorrer no inverno. Todo o seu metabolismo diminui e seu ritmo vital fica mais lento.

Nesses momentos, eles se retraem em suas conchas. Para evitar ataques de predadores, eles fecham a abertura com uma camada gelatinosa que eles mesmos segregam.

Alimentação e habitat do caracol terrestre

caracol

  • Os caracóis são muito abundantes no mundo. Eles são encontrados em diversos habitats. Algumas espécies se adaptam muito bem ao deserto, outras vivem em climas frios, áreas montanhosas e até em pântanos.
  • Os mais comuns e conhecidos escolhem locais úmidos para viver e dependem da água para se desenvolver. Eles geralmente se reproduzem muito bem em lugares onde existem seres humanos. A presença do homem gera jardins e isso lhes dá alimento permanente.
  • Nas estações quentes, permanecem escondidos durante as horas de altas temperaturas e se movem à noite. Quando o sol está escondido e o ambiente esfria, eles saem para se alimentar.
  • A maioria é herbívora. Alimentam-se de folhas em decomposição, casca, caules e matéria orgânica. Possuem um órgão especial, a rádula, que contribui para sua alimentação. É o órgão que lhes permite obter poeira das pedras para receber o cálcio necessário e fortalecer assim sua concha.
  • Eles são animais solitários e entram em contato com outros apenas por motivos de alimentação ou acasalamento. Não são agressivos com outros animais, embora causem danos às plantas.

Atualmente, os caracóis são usados ​​pela indústria de alimentos e cosméticos. Por esta razão foram criados locais de reprodução para eles em cativeiro.


Notícias sobre Pets

Sobre o Autor

Escobar Dog