PET

A vida de um cão policial

Escrito por Escobar Dog

Cães policiais têm trabalhos muito diferentes: detectar drogas, explosivos, encontrar pessoas desaparecidas e intervir em situações delicadas. Se você já se perguntou como um cão pode se tornar um agente da ordem, hoje nós falaremos sobre a vida de um cão policial.

O começo da vida de um cão policial: sua infância

A vida de um cão policial começa antes do nascimento. Um criador especializado em cães com tal predisposição genética para esse trabalho, é responsável por cuidar da mãe e do pai em condições ideais e, assim, evitar problemas durante a gravidez e o parto.

Durante as primeiras semanas, os filhotes da polícia vivem normalmente com a mãe. A partir da terceira semana de vida, eles começam a explorar seu ambiente e caminham sozinhos, para que o criador comece a acostumá-lo a conhecer pessoas, ouvir ruídos e caminhar por diferentes superfícies.

Entre a sétima e a nona semana de vida, os filhotes passarão por um teste que determinará o futuro deles: será decidido qual trabalho policial será melhor. Após este teste, eles serão apresentados ao guia humano e começarão seu treinamento específico para o trabalho.

Juventude: treinamento

Quando o filhote tem cerca de nove semanas de vida, ele inicia seu treinamento profissional. Graças à criação controlada, já se sabe quais são seus interesses e habilidades e é, então, atribuída ao cão uma profissão que poderá ser executada por ele com habilidade e bom gosto.

O primeiro passo em seu treinamento é a obediência básica: sentar, latir, deitar-se… e desenvolver um grande vínculo e confiança com seu guia humano. A base da vida de um cão policial é a obediência: ele não pode ser um bom cão policial sem disciplina e boa educação.

Uma vez dominados os comandos básicos, o treinamento específico para sua profissão começa. Isso dependerá de quais habilidades ele precisa desenvolver, já que um cão de resgate nas montanhas não é o mesmo que um detector de drogas nos aeroportos.

Existem muitas técnicas de treinamento diferentes, mas atualmente quase todas são baseadas em reforços positivos: isto é, cada vez que o cão acerta, ele ganha um prêmio. Por exemplo, alguns cães farejadores são ensinados a relacionar o odor da droga com seu brinquedo: ele logo irá apontar o que você está procurando, para que alguém, então, lhe jogue uma bola.

vida de um cão policial

Durante esse período, eles não esquecem de integrar o cão ao que será seu ambiente de trabalho: aqueles que trabalham em deslizamentos de terra visitarão obras e escombros normalmente. Aqueles que trabalham nos aeroportos, começarão a andar pelas suas instalações.

A duração deste treinamento dependerá da habilidade dos treinadores e da complexidade do trabalho que o cão irá desenvolver. Quanto mais habilidades ele tiver para adquirir, mais tempo levará para completar seu treinamento.

A vida de um cão policial adulto

Uma vez que o cão se formou como policial, ele começa seu verdadeiro trabalho. Ele receberá alguns horários de trabalho e alguns dias de descanso: os cães não podem trabalhar um dia inteiro todos os dias e, além disso, precisam descansar por alguns dias.

Além de seus dias de trabalho, seu treinamento nunca termina. Ele sempre continua treinando e praticando suas habilidades profissionais. Parte de seus dias de trabalho são dedicados a fazer simulações e ensaios de seu trabalho real.

vida de um cão policial

Ou seja, embora os cães de resgate não precisem ir a um desmoronamento, algumas vezes por semana visitam escombros ou cavernas para procurar. O mesmo acontece com cães detectores e com cães de proteção. Eles nunca param de testar suas habilidades, para que não as esqueçam.

Aposentadoria

Como qualquer outro trabalhador, depois de anos de trabalho incansável chega a hora da aposentadoriaCada área que trabalha com cães estabelece critérios diferentes para aposentar seus cães, mas os mais comuns são:

  • Chegando aos oito anos de vida. É apenas uma idade aproximada, depende do estado de saúde e das possibilidades de encontrar um adotante.
  • Sofre uma lesão incapacitante ou uma doença crônica.
  • Pare de se interessar em desenvolver seu trabalho.
  • A aposentadoria permanente de seu guia humano.

Após a aposentadoria, é hora de encontrar um retiro apropriado para cada cão policial. Em cada lugar é feito de maneira diferente: às vezes os próprios guias procuram os adotantes, mas também há associações especializadas nisso.

Após uma vida de serviços, a vida de um cão policial acaba em uma casa normal com uma nova família. No entanto, estes não são cães normais e precisam de mais estímulo que os animais de estimação. Mesmo que parem de trabalhar oficialmente, precisam de uma família que saiba lhes dar tarefas e brincadeiras que satisfaçam seu desejo de trabalhar.


Notícias sobre Pets

Sobre o Autor

Escobar Dog