Geek

A nova sonda espacial da NASA se aproximará mais do Sol do que qualquer embarcação antes dela

Escrito por Paulo Carmino

“TOCANDO” O SOL

No início da manhã de sábado, a NASA planeja lançar uma missão diferente de qualquer outra antes – esta vai “tocar” o sol.

Imagem: Reprodução/Google – A sonda Parker Solar é a mais nova missão espacial que busca entender os mistérios do espaço sideral

Às 3h33 da manhã, a Parker Solar Probe será lançada do Space Launch Complex 37, na Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Flórida. Ele vai pegar uma carona para o espaço a bordo de um foguete Delta Launch Alliance da United Launch Alliance, e um impulso de estágio superior do foguete o levará para fora da órbita da Terra e a caminho de Vênus, movendo-se a velocidades de até 700.000 kmh (430.000 mph) – mais rápido do que qualquer sonda que veio antes dele.

SETE ANOS NO ESPAÇO

Nos próximos sete anos, a Sonda Solar Parker voará por Vênus sete vezes, usando a gravidade do planeta para se aproximar do Sol a cada vez. Em última análise, ele se encontrará dentro da parte mais externa da atmosfera do Sol, uma área conhecida como corona. Isso colocará a sonda a apenas 3,8 milhões de quilômetros da superfície do Sol – sete vezes mais próxima da estrela do que qualquer embarcação que veio antes dela, segundo a NASA.

Imagem: Reprodução/Google – A sonda vai passar um período próximo ao Sol para que possam ser coletados os materiais para estudo

Apesar de ser a primeira agência a “tocar” o Sol é uma recompensa em si, a NASA espera receber muito mais do que o espaço nas ruas da sua missão Parker Solar Probe. A sonda conterá quatro pacotes de instrumentos projetados para, entre outras coisas, rastrear o movimento de energia e calor dentro da coroa e ajudar os cientistas a descobrir o que acelera as partículas energéticas solares e o vento solar.

UMA OPORTUNIDADE DE APRENDIZAGEM

Em última análise, quanto mais pudermos aprender sobre o Sol, melhor. As perturbações no seu vento solar podem ter um impacto no espaço próximo da Terra, o que pode afetar os satélites do nosso planeta. Esses distúrbios também podem criar complicações à medida que tentamos enviar astronautas e espaçonaves para longe da Terra.

Imagem: Reprodução/Google

Além disso, o Sol é a única estrela que podemos estudar de perto, e qualquer conhecimento que tenhamos da sonda Parker Solar pode nos ajudar a entender melhor como funcionam as outras estrelas. Talvez esses estudos até informem nossa compreensão de como a vida começou na Terra, ajudando-nos a diminuir nossa caça pela vida além dela.


Editor

Wesley Macedo

Graduando em Comunicação Social- Jornalismo. Vejo no meio web a forma mais compacta e ao mesmo tempo divertida de fazer jornalismo. Gosto de curtir cada momento da vida.


Mais notícias sobre Astronomia



NASA planeja trazer material da superfície marciana à Terra

A NASA não decide apenas aleatoriamente que telescópios e satélites devem ser lançados no espaço e que planeta estudar em …



Estação espacial Chinesa foi vista no céu por astrônomo

A estação espacial Chinesa Tiangong-1, lançada em 2013 e “perdida” em 2016, está prestes a cair no planeta terra neste fim …



A SpaceX está prestes a lançar dois dos seus satélites espaciais de internet

Após a primeira missão Falcon Heavy da SpaceX, a empresa está voltando à sua rotina com outro lançamento do Falcon 9 …

Sobre o Autor

Paulo Carmino