Meio Ambiente

8 cursos ambientais online e gratuitos estão com inscrições abertas

Escrito por Ana Dalila

Até o dia 17 de outubro, interessados em aprender mais sobre temas como Água, Unidades de Conservação, Resíduos Sólidos ou Produção e Consumo Sustentáveis poderão se inscrever em um dos cursos a distância oferecidos pelo Departamento de Educação Ambiental do Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Serão oito cursos autoinstrucionais (sem tutoria) abertos ao público geral. Para se inscrever, basta acessar o ambiente virtual de aprendizagem do MMA, preencher o cadastro e fazer o login. É possível participar de mais de uma turma. A carga horária dos cursos varia de 20 a 70 horas e há 2 mil vagas para cada um deles.

Outra novidade é que o projeto Salas Verdes ganhou uma turma exclusiva, com o tema Educação Ambiental e Água. A iniciativa, criada em 2000, tem como objetivo incentivar a implantação de espaços socioambientais, que atuam como potenciais centros de informação e formação ambiental. Esta será a primeira das três turmas exclusivas para o projeto Salas Verdes programadas até o fim do ano.

Menos papel, mais inclusão

Uma das missões do Salas Verdes é reduzir a produção e a distribuição de publicações em meio físico, ou seja: diminuir o uso de papel. Por isso, cada vez mais, o projeto aposta em ferramentas de educação a distância, como a plataforma Moodle. Os cursos online poderão ser feitos pelo público das Salas Verdes, formando turmas exclusivas de participantes do projeto.

A analista ambiental Ana Luisa Teixeira de Campos, do MMA, explica que a educação a distância foi uma alternativa para facilitar o acesso da sociedade a conteúdos alinhados com as políticas públicas ambientais nacionais. “Flexibilidade de horário, acesso de lugares diversos, interações e troca de experiências com públicos de diferentes realidades são algumas vantagens da modalidade”, destaca.

Ana Luisa explica que o ambiente virtual de aprendizagem tem sido fundamental para o desenvolvimento de diversos trabalhos de educação ambiental no Brasil. Segundo ela, os cursos podem ser considerados ferramentas vitais para o estabelecimento de parcerias, tanto internas (com o aumento da interlocução de diversos departamentos do ministério) quanto externas. “Também são importantes para o aumento da capilaridade das políticas públicas ambientais”, completa.

Os conteúdos também podem ser aproveitados por parcerias como escolas de governo, universidades, associações ou secretarias de meio ambiente estaduais e municipais, o que potencializa o uso e a disseminação dos materiais produzidos.

Sobre o Autor

Ana Dalila