Curiosidades

7 brinquedos estarrecedores vindos diretamente do passado

Escrito por Giovanna Campos

Os brinquedos fazem parte de marcantes momentos durante a infância da maioria das pessoas. Sejam tecnológicos e avançados comprados com muito dinheiro numa loja de ponta ou caseiros feitos com materiais reaproveitados, provocam a diversão, interação social e o riso das crianças durante os momentos de lazer. Com essa função, seria de se esperar que fossem sempre divertidos, atraentes e cativantes.

Apesar da ideia ser próxima dessa descrição, nem sempre as coisas foram assim. Engrenagens mecânicas, conceitos assustadores ou mesmo produtos que podem causar graves doenças a seus donos fizeram parte da história dos brinquedos ao redor do mundo. São bonecos ou conjuntos bem questionáveis que já foram colocados à venda e habitaram as casas de crianças durante seus momentos de diversão.

Conheça algumas histórias por trás de brinquedos chocantes que foram produzidos e vendidos ao longo da história na intenção de fazer as crianças mais felizes.

1 – Mini-guilhotinas

Durante a Revolução Francesa, pequenas guilhotinas de meio metro eram vendidas como populares brinquedos para crianças. Elas eram utilizadas para cortar as cabeças de bonecas, ratos ou pássaros capturados na rua. A tendência se tornou tão popular que algumas bonecas eram preenchidas com fluidos para simular sangue. A ideia voltou às prateleiras nos anos 70, por fabricantes dos Estados Unidos, mas saiu do mercado após protestos de pais.

2 – Laboratório Atômico

2

Em 1951, Alfred Carlton Gilbert inventou um mini conjunto de ciências para criança que simulava um laboratório nuclear. O Laboratório de Energia Atômica Gilbert U-238 continha um contador Geiger, ferramentas de medição e algumas fontes de radiação de baixa emissão. Por mais que o criador do brinquedo afirmasse que os materiais radioativos eram completamente seguros, hoje em dia é de conhecimento da ciência que o isótopo U-238 é relacionado ao desenvolvimento de câncer, leucemia, linfoma e outros problemas graves.

3 – Lojinha do Açougueiro

3

Na Era Vitoriana, ao invés das tradicionais casinhas de bonecas vendidas até hoje nas lojas de brinquedo, as crianças tinham que se divertir com outro tipo de miniaturas. Pequenas representações de açougues com ganchos reais e reproduções de pedaços de carne penduradas sobre ambientes cobertos de sujeira e sangue. Para acompanhar, um pequeno boneco de um simpático açougueiro acompanhava o conjunto.

4 – Homem de Mil Faces

4

Em 1975, a fábrica de brinquedos norte-americana Kenner, desenvolveu um boneco bem assustador para vender para crianças de 5 a 11 anos. Hugo, o Homem de Mil Faces era um fantoche de cara limpa e careca que podia assumir diferentes identidades. O boneco vinha com disfarces que podiam ser colocados em seu rosto com uma cola especial. As aparências do boneco eram assustadoras e a cola ainda não durava muito tempo, fazendo com que sua popularidade não perdurasse por muitos anos.

5 – Bebê Assustador

5

Em 1871, uma boneca representando um bebê engatinhando foi patenteada por inventores da Era Vitoriana. A descrição parece bem comum, até porque esses modelos fazem sucesso até hoje entre crianças e bebês. No entanto, por ter sido o primeiro modelo inventado, ele não carregava a mesma aparência fofa e charme das bonecas à venda hoje em dia. Apesar do rosto angelical de criança, tinha um corpo com engrenagens a vista e uma forma mecânica que não cativava ninguém.

6 – Miss No-Name

6

Na década de 60, a companhia Hasbro lançou a boneca sem nome conhecida por Miss No-Name. Ela tinha olhos focados que nunca piscavam e uma lágrima de plástico no rosto, provocando um visual bem peculiar. Ao invés de cativar as crianças, elas provocavam o efeito completamente contrário. Meninas morriam de medo das pequenas criaturas de plástico e até corriam assustadas quando se deparavam com algum modelo. Antes de tirar a boneca de circulação, a Hasbro ainda tentou oferecê-la como brinde com uma marca de chocolates, mas nem assim ela conseguiu obter sucesso.

7 – Furby

7

Furby não é um brinquedo tão antigo assim, se comparado com os outros dessa lista, mas ainda assim merece destaque. Lançado em 1998, o boneco venceu 40 milhões de unidades em três anos. Os Furbies eram criaturas bizarras mas ao mesmo tempo fofas que tinham funções robóticas que os permitiam falar e até mesmo se mover. O comportamento parecia encantador no início, mas quando os brinquedos começaram a se mover e falar sozinho durante o sono das pessoas ou nos momentos mais inesperados, passaram a ser bem aterrorizantes em contrapartida aos comportamentos encantadores.

Alguns desses brinquedos são de realidades tão distintas que é impossível pensar na existência deles nos dias de hoje. Certamente você não entrou em contato com quase nenhum produto citado aqui, já que tão antigos, mas será que já teve experiências assustadoras com seus brinquedos durante a infância?


Mais Curiosidades

Sobre o Autor

Giovanna Campos