Vida Sustentável

Conheça os tipos de chá e a melhor maneira de armazená-los em casa

Saiba também o que a legislação brasileira exige que seja apresentado nos rótulos dos chás vendidos no País

O consumo do chá no Brasil vem crescendo muito nos últimos anos. Bebida preparada por meio da infusão de folhas, flores ou raízes de plantas, o chá geralmente é preparado com água quente, e cada variedade adquire um sabor definido de acordo com o processamento utilizado, que pode ser com ou sem fermentação, tostado ou não, podendo ser adicionado de aroma e ou especiaria.

De acordo com a legislação brasileira, os rótulos dos chás comercializados no País devem conter, obrigatoriamente, a lista de ingredientes, identificação da origem, nome ou razão social e endereço do importador – no caso de alimentos importados -, identificação do lote, prazo de validade e instruções sobre o preparo.

Ainda de acordo com a regulamentação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), não é permitida, no rótulo dos chás, qualquer informação que atribua indicação medicamentosa ou terapêutica (prevenção, tratamento e ou cura de doenças) ou indicações para crianças recém-nascidas.   

A mais recente avaliação realizada pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), de 2009, foi relativamente positiva, mostrando que apenas quatro marcas, de 22 analisadas, apresentavam alguma não conformidade com as resoluções determinadas pela  Anvisa. Você pode conferir aqui o relatório da agência.

Tipos de chá

Se você não é especialista na bebida, saiba que são quatro os tipos principais de chá, divididos pela forma como as ervas são colhidas e tratadas:

– Chá branco: é procedente da Índia e China, sendo o menos processado entre as ervas. É feito a partir de botões de flores, colhidos antes que amadureçam e se abram e postos para secar. A cor clara da erva acaba sendo transmitida para a bebida durante a infusão.

– Chá preto: também é conhecido como chá inglês. O processo de preparação da erva é o mais longo entre todos os tipos, incluindo secar, oxidar e queimar as folhas. É caracterizado por ser o único tipo fermentado da bebida, o que lhe dá uma cor avermelhada e um cheiro adocicado.

– Chá verde: é caracterizado pela não oxidação das folhas, mantendo a cor esverdeada original, por isso o nome. Possui um odor característico de ervas e uma tonalidade única de verde.

– Chá Oolong: este tipo de erva produz uma bebida semi-fermentada, pois o processo é interrompido antes de se tornar o chá preto, e por isso carrega características dos tipos verde e preto.

Pela regulamentação da Anvisa, toda vez que um chá tiver em sua composição duas ou mais espécies vegetais, sua embalagem precisa trazer o termo “chá misto”, seguido dos nomes comuns das espécies vegetais ou do nome consagrado pelo uso. O mesmo deve ocorrer quando o chá é acrescido de especiarias ou tem açúcar adicionado.

Como armazenar

Para conservar o chá sem perder suas principais características de qualidade e sabor, o armazenamento precisa ser feito com cuidado. Independente do tipo de chá, para manter o sabor e aroma da erva, é necessário que o consumidor mantenha o produto em uma embalagem escura e hermeticamente lacrada, como uma lata. Deve-se evitar embalagens transparentes (para evitar a exposição à luz) ou de madeira (o odor da madeira pode influenciar o aroma da erva). Não se deve também guardar tipos diferentes de chá na mesma embalagem para que os aromas não se misturem. Por fim, é aconselhável respeitar a data de validade, mesmo que o produto esteja bem conservado.

As informações são do Idec.