Negócios

WWF e Greenpeace abandonam COP 19 antes do término

Uma série de eventos têm desanimado os participantes da conferência sobre mudanças climáticas.

A situação está complicada para os negociadores da COP 19, Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas que acontece na Varsóvia (Polônia). Uma série de eventos têm desanimado os participantes, tais como a decisão do Japão em cortar sua meta de redução de emissões seguido por outros países que não querem se comprometer com metas mais ambiciosas. Os fatos levaram algumas ONG’s a abandonarem a conferência.

Na última quarta-feira (20), o Greenpeace chegou a afirmar que “a segunda semana das negociações climáticas inicia em falta de esperança, falta de ambição, falta de dinheiro e de autoridades – em todos os sentidos”.

Em meio aos últimos acontecimentos, uma situação constrangedora ocorreu: o ministro do Meio Ambiente polonês, Marcin Korolec, foi demitido. A decisão do governo foi divulgada na última quarta-feira (20) e deve enfraquecer a credibilidade de Korolec, que exerce a função de presidente da COP 19.

Segundo informou o G1, o primeiro-ministro, Donald Tusk, afirma que o objetivo da mudança é acelerar o desenvolvimento de gás de xisto na Polônia – alternativa energética polêmica devido aos riscos ambientais.

De acordo com organizações não governamentais, a conferência está colocando os interesses industriais energéticos acima da população mundial. Por conta disso, o Greenpeace, WWF, Oxfam, Amigos da Terra, Action Aid e 350.org anunciaram que vão se retirar do evento.

A decisão foi tomada um dia antes do término oficial da COP 19, que será nesta sexta-feira (22). Os grupos deixam claro que é uma forma de protesto frente à falta de ações concretas na conferência.

Em comunicado, afirmam que a COP 19 caminha para entregar “praticamente nada” e que, por isso, vão adotar como estratégia a mobilização para pressionar os governos. Veja abaixo o documento na íntegra:

A Conferência do Clima de Varsóvia, que deveria ter sido um passo importante na transição justa para um futuro sustentável, está no caminho certo para entregar praticamente nada. Na verdade, as ações de muitos países ricos aqui em Varsóvia estão minando diretamente a própria UNFCCC, que é um importante processo multilateral que deve ser bem sucedido, se quisermos resolver a crise climática global.

A Conferência de Varsóvia colocou os interesses das indústrias de energia suja sobre a de cidadãos globais.

Organizações e movimentos que representam pessoas de todos os cantos da Terra decidiram que o melhor uso de nosso tempo é retirar-se voluntariamente das negociações sobre o clima de Varsóvia. Em vez disso, agora estamos concentrados na mobilização de pessoas para pressionar nossos governos a assumir a liderança para a ação climática séria.

Marcia Sousa – Redação CicloVivo