Geek

você conhece as tendências que o e-learning nos trará?

Escrito por Paulo Carmino

Podemos chamar isso de aprendizado eletrônico, tele-treinamento ou ensino assistido por computador. No entanto, o termo global de educação on-line é e-learning e, desde que foi introduzido na Espanha, em 1995, não parou de crescer em todo o mundo. Mas onde está indo?

O influxo do uso da tecnologia na educação

Se o Facebook lançou a App ‘Dating’ para competir com o Tinder, se o emprego dos sonhos da geração Y é se tornar influenciador digital e se até mesmo os jogos mais tradicionais são hoje os melhores casinos on-line, como não poderia a educação também se reunir com tecnologia? Era de se esperar, pois é também que no próximo ano pelo menos 50% das aulas serão desenvolvidas online. E, não podemos ignorar que há um aumento da demanda na educação por causa dos seguintes fatores on-line: a flexibilidade proporcionada pelo aluno, os preços mais baixos e a qualidade multimídia com a qual nos envolvemos neste século. Portanto, não podemos negar que a educação on-line chegou para ficar, mas podemos analisar as tendências que virão na próxima seção.

As tendências que esperamos no e-learning

AEFOL – empresa que promove e-learning através de consultoria, organização de eventos e marketing – realizou este artigo em 2017 sobre as 8 tendências esperadas na aprendizagem online. Entre eles, um dos que está gerando o maior crescimento é o Mobile Learning, o que não surpreende, já que desde 2016 o celular ganhou do computador quando se trata de acessar a Internet. É por isso que, devido ao influxo que está gerando o uso de dispositivos móveis em nossa sociedade, é cada vez mais comum aprender através de um smartphone ou tablet. Assim, uma das principais tendências que já chegaram e continuarão a crescer é o chamado ‘Mobile Learning ou m-Learning. Neste sentido o conteúdo será criado para ser visto em um smartphone ou tablet, que é conhecido como ‘design responsivo’ (o que nos permite ler ou assistir a um vídeo de telas pequenas, sem cortar o conteúdo ). Você já fez um curso do seu celular? A verdade é que existem Apps para tudo: do Duolingo ou Wibbu English para aprender Inglês e até mesmo o HeadSpace que ajuda você a meditar.

Outra tendência derivada do aprendizado móvel é o microlearning ou aprender sem ocupar muito espaço. Nesse sentido, o conteúdo é distribuído em vídeos de 5 a 10 minutos ou documentos escritos de no máximo 500 palavras. Além disso, lições específicas divididas em um tópico para aprender a não só economizar espaço no dispositivo do usuário, mas também para reduzir o volume para o usuário porque menos informação implica em uma maior capacidade de se concentrar sobre o conteúdo fornecido. Se você ainda não percebeu a relevância que esse aprendizado está obtendo, leia o artigo “O Microlearning está em toda parte“. E se há algo que é característico desse tipo de aprendizado é que os alunos aprendem quase sem perceber. Por exemplo, os vídeos curtos que encontramos no Facebook enquanto navegamos e que, inconscientemente, nos fazem aprender algo novo ou as divertidas e interessantes palestras do TED.

Por outro lado, não podemos esquecer a influência que a tecnologia ‘vestível’ está tendo na aprendizagem online. O Apple Watch, o Oculus Rift ou o Google Glass são três dos principais iniciadores dessa tendência que visa transferir o aprendizado tradicional para um portátil. Se você quer saber como é possível aprender através de um relógio, a resposta é os usuários que já experimentaram e que consideram uma das maneiras mais interativas e divertidas de assumir novos conteúdos.

https://www.pexels.com/photo/smartwatch-apple-watch-device-time-9050/

Apple Watch Crédito: Pexels

Como você pode ver neste artigo, o e-learning é cheio de surpresas que descobriremos nos próximos anos e que receberemos de braços abertos. Hoje é certo que essa forma de aprendizado significou uma mudança positiva que acabou de começar.

Sobre o Autor

Paulo Carmino