Meio Ambiente

SP ganha mais duas reservas de conservação

A RPPN é um tipo de Unidade de Conservação de domínio privado e caráter perpétuo com objetivo de conservação da biodiversidade.

Com a necessidade urgente de preservar o meio ambiente, cada vez mais proprietários de terras vem se sensibilizando e criando Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN). No final de setembro, foram oficializadas junto à Fundação Florestal, mais duas RPPNs no estado de São Paulo: a Vale Verdejante, no município de Ubarana, e a Botujuru, em Mogi das Cruzes .

A RPPN Vale Verdejante, de propriedade de Marinésia Decândio Freitas e Gilberto de Andrade Freitas, possui uma área de 6,3629 hectares, em área de transição entre o bioma da Mata Atlântica e o Cerrado. Segundo informações do proprietário e levantamentos feitos durante vistoria, foram relatadas, até o momento, vinte espécies da fauna silvestre, sendo que duas delas são classificadas como vulneráveis: a anta (Tapirus terrestris) e o bugio (Alouatta fusca), além do cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), que é considerado ameaçado de extinção.


RPPN Vale Verdejante em Ubarana. Foto: Divulgação/Fundação Florestal

A RPPN Botujuru – Serra do Itapety, com área de 437,30 hectares, é de propriedade da SPLF Investimentos e Participações LTDA. Nesta região, a vegetação nativa é do bioma da Mata Atlântica, com vegetação secundária de Floresta Ombrófila Densa e Vegetação Secundária de Floresta Estacional Semidecidual. Neste local, ocorrem cerca de 270 espécies da fauna, das quais vinte e sete estão ameaçadas e uma espécie apresenta alto risco de extinção: sagui-de-serra-escuro (Callithrix aurita).

Preservação relevante

De acordo com o coordenador do Programa RPPN Paulistas, da Fundação Florestal, Oswaldo Bruno, as duas novas RPPNs representam um importante refúgio de preservação nas regiões de Ubarana e Mogi das Cruzes, no interior de São Paulo.

“A RPPN Vale Verdejante possui atributos ambientais que justificam o seu reconhecimento como RPPN, por ser um dos poucos remanescentes de vegetação natural no município, em zona de ecótono da Mata Atlântica com o Cerrado. Já a RPPN Botujuru destaca-se por sua extensão e localização estratégica, que fortalecerão a conservação da Serra do Itapeti, tanto na proteção da fauna e flora, do solo, do relevo e das nascentes, como importante zona de amortecimento e corredor de ecológico com o Parque Natural Municipal Francisco Affonso de Mello.”

O que é uma RPPN?

A RPPN é uma Unidade de Conservação (UC) de domínio privado e caráter perpétuo, com objetivo de conservação da biodiversidade, sem que haja desapropriação ou perda dos direitos de uso da propriedade. Na RPPN são permitidas as atividades de pesquisa, educação ambiental e ecoturismo, sendo vedada a exploração direta dos seus recursos naturais, conforme estabelece o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), Lei Federal n° 9.985/2000. A criação de uma RPPN parte de ato voluntário do proprietário, formalmente solicitado ao Poder Público.