Decoração & Design

Skates antigos são transformados e ganham novas utilidades

A reciclagem tem sido proposta como solução para ajudar a reduzir o problema do lixo. Apesar disso, a maioria ainda prefere descartar itens e comprar novos. A seguir o CicloVivo separou uma lista de itens funcionais feitos com skates velhos.

A reciclagem tem sido proposta como uma solução para ajudar a reduzir o problema do lixo. Apesar disso, a maioria ainda prefere descartar itens e comprar novos. A seguir o CicloVivo separou uma lista de itens funcionais e de decoração, criado por artistas, feitos com skates velhos. 

Prateleira

Por que gastar dinheiro com prateleiras novas quando você pode fazer a sua própria? Patrick Drake tem usado o seu amor pelo meio ambiente e pelo esporte para reciclar skates velhos e fazer prateleiras para livros, revistas e artigos decorativos. Seu projeto, chamado Pure Skateboard Shelf, foi feito aproveitando a forma natural do skate. Os eixos foram usados ​​como suportes de livros que também previnem as pranchas de escorregar para frente, agindo como pesos. Para a base, Drake utilizou um skate completo com rodas, que foram reforçadas para que não pudessem rolar, fazendo com que a plataforma ficasse estável.

Cadeira para lounge

A forma simples de um skate é tão versátil que pode ser transformada em quase tudo. A cadeira foi trabalhada a partir de shapes (pranchas) velhos. São oito peças sentadas em uma armação de metal sem os respectivos eixos. Os shapes foram cobertos com almofadas de neoprene para dar um aspecto de couro. Batizada de Jet Set Lounge Chair, a cadeira é comercializado pela Skate Study House. A empresa também cria objetos como relógios, lamparinas, bancos, cabides, mesas entre outros.

Case para iPhone

Os celulares são delicados e precisam de proteção contra uso e desgaste diário. Embora existam muitos cases no mercado, nenhum tem um aspecto tão interessante como estes feitos pela artista Lindsay Jo Holmes da empresa Grove, feito em colaboração com a MapleXO. Esta edição limitada de cases para iPhone foram feitas cortando skates velhos em tiras, que depois foram coladas. Os resultados são cases coloridos em tons de arco-íris, que são duráveis ​​e únicos.

Banco urbano colorido

A Deckstool é o cérebro por trás deste banco incrível com cinco metros de comprimento. A empresa recicla skates velhos fornecidos pelos clientes ou resgata os materiais necessários para a produção de bancos de ruas. Os eixos de metal funcionam como suporte sobre os quais os assentos de madeira são colocados. O que faz os bancos se destacarem é que os projetos possuem arranhões e apelidos feitos por seus antigos usuários, dando às criações uma sensação familiar e mais confortável.

Esculturas

Afastando-se um pouco da funcionalidade, o artista japonês, Haroshi, juntou-se à empresa DLX Distribution and HUF para criar maravilhosas obras de arte feitas com skates usados. O resultado é tão suave que não parecem ser feitos com este material.

O artista realiza sua mágica lixa na antiga pintura e, em seguida, coloca os skates em pilhas. O resultado é um bloco de placas que servem como base para sua habilidade com uma serra elétrica. As peças são então polidas para dar brilho e vendidas aos clientes. 

Obras de arte

Continuando na linha dos projetos não funcionais, um grupo de artistas conhecidos como Nube estão trabalhando na restauração de skates velhos para fazer obras de arte. Os artistas fazem parte de um projeto chamado Reskate que visa converter shapes em mini longboards.  As placas são restauradas e dadas aos artistas que trabalham sobre elas, criando peças de edição limitada com detalhes surpreendentes. Os produtos foram exibidos na galeria Pantocrator de Berlim no ano passado.

Banquinhos

A maioria dos skates caracteriza-se por trabalhos em graffiti que confere estilo e individualidade. Com tempo necessário para criar tais peças únicas, é sempre uma pena que muitos são descartados depois de velhos. A Deckstool, a mesma empresa que cria os bancos urbanos, tem criado banquinhos. Os eixos são usados ​​como ponto de união para o assento e “pés”, proporcionando um suporte robusto para os usuários. Tal como os seus bancos urbanos, estes assentos possuem elementos que complementam perfeitamente a identidade dos skatistas. Com informações do EcoFriend.

Redação CicloVivo