Tecnologia

Sistema de reconhecimento facial é usado no Carnaval de SP

Escrito por Paulo Carmino

A prefeitura de São Paulo utiliza o sistema de reconhecimento facial em busca de foragidos ou pessoas desaparecidas

O carnaval é a maior festa de rua do Brasil e com tantas pessoas se reunindo, a prefeitura de São Paulo viu uma ótima oportunidade para utilizar o sistema de reconhecimento facial a procura de foragidos ou de pessoas desaparecidas. Estima-se que cerca de 15 milhões de pessoas vão desfilar nas ruas da capital em 678 blocos confirmados para todo o período do feriado, e durante toda a festa esse sistema será utilizado.

Comparando rostos com o reconhecimento facial

Sistema de reconhecimento facil compara as imagens registradas com as do banco de dados para identificação

Todas as imagens serão coletadas pela Valid, uma multinacional brasileira de identificação segura, e elas vão ser usadas para comparar através do reconhecimento facial com o banco de dados de São Paulo. São informações de mais de 32 milhões de RGs que foram emitidos em todo o Estado de São Paulo. Esse banco de dados foi criado e é administrado pela própria Valid.

Para se ter ideia do quanto esse bando de dados é vasto, ele é considerado um dos maiores do mundo e possui um volume de imagens três vezes maior do que a população de Portugal inteira.

Marcello Ribeiro, diretor de identificação da Valid, ainda ressaltou que eles já estão fazendo captura eletrônica biométrica desde 2014. Essa captura biométrica inclui foto, assinatura e impressões digitais que são oferecidos tanto durante as expedições de Carteiras de Identidade quanto de Carteiras de Habilitação no estado de São Paulo.

“Essa padronização, com controle de nitidez, resolução, distância, foco e tela antirreflexo, propiciará que o reconhecimento facial tenha um resultado mais satisfatório por ocasião das comparações com imagens fixas e móveis”

Bahia também usa o reconhecimento facial

Além de São Paulo, outra capital que também conta com um grande número de pessoas nessa época é Salvador e por lá o Sistema de Reconhecimento Facial da Secretaria Pública da Bahia (SSP) também já está trabalhando a todo vapor. Nesse caso o intuito é usar a tecnologia para combater violência e como uma fonte de dados para possíveis acontecimentos.

Para isso, eles utilizam 84 câmeras que estão espalhadas em todo o circuito e em pontos de transportes públicos e até drones do Grupamento Aéreo (Graer), que enviam imagem em tempo real.

Fonte: Convergência Digital e iBahia

Sobre o Autor

Paulo Carmino