Geek

Produtora de The Order: 1886 diz que PS5 é “um dos consoles mais revolucionários de todos os tempos”

Escrito por Paulo Carmino

Embora a apresentação do PlayStation 5 da última quarta-feira tenha decepcionado alguns por seu conteúdo meramente técnico, alguns desenvolvedores estão entusiasmados com o que viram do novo console da Sony até agora.

O diretor de tecnologia do estúdio Ready at Dawn, criador de The Order: 1886, é mais um que demonstrou empolgação com o PlayStation 5, que ele classificou como “um dos consoles mais revolucionários e inspirados já criados”.

Andrea Pessino, que também é co-fundador do estúdio, foi ao Twitter para elogiar o PS5 e defender a Sony das críticas que surgiram, especificamente aquelas relacionadas a uma possível inferioridade em relação ao Xbox Series X.

“Aposto dinheiro: dentro de um ano a partir do lançamento, os jogadores reconhecerão plenamente que o PlayStation 5 é um dos consoles mais revolucionários e inspirados já criados, e se sentirá tolo por ter gasto energia discutindo sobre ‘teraflops’ e outras especificações incompreendidas”.

O estúdio Ready at Dawn concentrou-se nos últimos anos no desenvolvimento de jogos de VR para Oculus Rift, mas fez sua fama com o tecnicamente exemplar The Order: 1886, de 2015.

Depois que alguns usuários questionaram a motivação por trás da mensagem elogiosa ao PS5 de Pessino, o desenvolvedor continuou dizendo que não tem interesse em participar de “guerras bobas de consoles” e não se alinha a nenhuma plataforma em particular.

“Eu amo TODAS as plataformas de jogos, todas as marcas. Console, portátil, móvel, PC e, claro, VR! Eu amo e jogo tudo e não estou tuitando na folha de pagamento de ninguém”, disse ele.

“Estou entusiasmado com a próxima geração de consoles – acredito que eles permitirão a concepção e a execução de jogos exponencialmente mais impressionantes, e NÃO apenas porque eles têm um hardware exponencialmente melhor”.

“Estamos obtendo decisões arquitetônicas direcionadas * especificamente * para as questões de desenvolvimento que historicamente impõem limites rígidos à visão dos designers. O que me leva ao meu comentário sobre ‘teraflops’”.

“Um console é mais do que uma soma de especificações – é claro que melhorias incrementais de hardware são importantes, mas abstrações, APIs, integração e, acima de tudo, * arquitetura * são ainda mais. É aí que as maiores inovações surgirão nesta era de retornos decrescentes”.

“É por isso que o foco nas métricas está ausente do quadro geral. Estou empolgado com o PS5 porque acho que foram tomadas muitas decisões inteligentes que permitirão que os desenvolvedores projetem de novas maneiras, especialmente para jogos expansivos. Eu não estava fazendo uma comparação, apenas compartilhando meu otimismo”.

O PlayStation 5 e o Xbox Series X saem no final de 2020.



Sobre o Autor

Paulo Carmino