Geek

Presidente do COI descarta eSports nas Olimpíadas por conta de jogos violentos

Escrito por Paulo Carmino

O presidente do Comitê Olímpico Internacional deu poucas esperanças a quem reivindica um espaço para os eSports nas Olimpíadas.

Falando à Associated Press durante os Jogos Asiáticos de 2018, Thomas Bach disse que há uma barreira crucial que está impedindo as competições de videogames de serem consideradas neste momento: a violência.

“Não podemos ter no programa olímpico um jogo que promova violência ou discriminação”, disse ele. “Eles, do nosso ponto de vista, são contraditórios aos valores olímpicos e, portanto, não podem ser aceitos”.

O próprio Bach é medalhista olímpico de ouro, tendo vencido a competição de esgrima nas Olimpíadas de 1976. Quando perguntado sobre isso, ele enfatizou a diferença entre a luta com espadas e a violência nos videogames.

“É claro que todo esporte de combate tem suas origens em uma luta real entre as pessoas”, disse o presidente do COI. “Mas o esporte é a expressão civilizada disso. Se você tem jogos para matar alguém, isso não pode ser alinhado com nossos valores olímpicos”.

Com a popularização crescente dos eSports há cada vez mais discussões sobre a inclusão da modalidade nas Olimpíadas. Um Fórum Olímpico de eSports foi realizado no mês passado, quando as principais produtoras de jogos discutiram o assunto com a equipe por trás dos Jogos Olímpicos de Paris 2024.

Sobre o Autor

Paulo Carmino