Vida Sustentável

“Praia do Tietê” reúne 600 pessoas na luta pela despoluição do rio

O evento contou com pessoas em trajes de banho e antigos remadores lembraram como o Rio Tietê era usado há algumas décadas.

Chuva, meditação coletiva, trupes circenses e um show especial de Guilherme Arantes com a banda da turnê “Condição Humana” fizeram parte da “Praia do Tietê”, evento organizado pela Fundação SOS Mata Atlântica, no último domingo (22), para celebrar o Dia do Tietê.

O objetivo da ação foi manter a sociedade engajada na luta pela despoluição do rio Tietê e cobrar o compromisso das autoridades e cidadãos com a recuperação do maior rio paulista.

“Queremos chamar a atenção da sociedade não só para a água do rio, mas como suas margens, por exemplo, podem ser usadas com ciclovias, áreas de convivência e até atrações culturais. O Rio Tietê tem de entrar na agenda da cidade”, afirma Malu Ribeiro, coordenadora da Rede das Águas da SOS Mata Atlântica.

Para mostrar esse exemplo, banhistas com trajes de banho e antigos remadores lembravam como o Rio Tietê era usado há algumas décadas. O evento reuniu aproximadamente 600 pessoas na Ponte das Bandeiras, às margens do Rio Tietê.

Entre eles estava Elisa de Paula, 88 anos. Ela remou no Rio Tietê de 1944 até 1960 pelo Clube Esperia. "Os peixes pulavam enquanto a gente remava. Às vezes também nadávamos", conta. “Me dá vontade de chorar quando vejo o rio assim, mas ainda tenho esperança", diz.

Para ela, as pessoas em geral não ligam para o rio. "O povo joga lixo e as empresas também jogam esgoto. É uma pena, muita gente poderia aproveitar o Tietê como eu aproveitei", afirma.

O guru Sri Prem Baba, que realizou uma meditação coletiva, chamou a atenção para o cuidado que as pessoas têm com o rio. “Hoje escolhemos nos engajar no movimento em prol do rio Tietê, mas gostaria de falar sobre o significado dessa escolha. Passamos pela marginal e não notamos o rio. Despejamos nossos detritos e lixos nele sem perceber que ele é parte da natureza, da vida, da nossa casa. Tem um muro que nos separa do rio, mas esse rio é parte de nós mesmos. A separação é somente ilusão. Tudo está interligado”, afirma.

 

Perspectivas

Com essa atuação da sociedade em prol do Rio Tietê, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin falou sobre as metas do governo para os próximos anos. “Nós já tiramos 365 toneladas por dia de esgoto ao longo dos 1.600 km do rio Tietê. Saímos aqui da Região Metropolitana de 70% de esgoto coletado para 84%. A nossa meta é em 2020 ter universalizado o tratamento”, disse.

O cantor Guilherme Arantes reforçou que o show era para celebrar a recuperação do rio, que ele não duvida que ocorra. “O Tâmisa já foi um lixo e hoje é um exemplo de equipamento urbano. Um dia chegaremos lá”, afirmou.

Ele dedicou a música “Raça de Heróis” à SOS Mata Atlântica. “É uma ONG com uma gestão exemplar e que é alegre. É a alegria que transforma o mundo”, concluiu.