Tecnologia

Pieces of a Woman, um drama devastador

Pieces of a Woman traz a primeira indicação de Vanessa Kirby para o Globo de Ouro – e é uma pena esta também ser a única deste longa espetacular da Netflix

No dia 28 deste mês acontece o Globo de Ouro 2021, premiação de séries e filmes americanos lançados no ano passado. Como alguns dos títulos indicados só estão disponíveis on-demand (e outros nem sequer chegarão ao Brasil), decidimos fazer este “recorte” nos filmes mais cotados e te contar tudo exclusivamente sobre os que foram para serviços de streaming. Além disso, ao final de cada publicação, deixamos o link correspondente para você assistir no respectivo serviço.

A emocionante história de Pieces of a Woman, original da Netflix (e, em particular, um dos melhores filmes do catálogo). Do total de 42 indicações da gigante produtora e distribuidora no Globo deste ano, o longa recebeu somente uma indicação: a de melhor atuação para a protagonista. Aqui te ajudamos a entender o porquê.

Sinopse de Pieces of a Woman

Uma mulher deve enfrentar uma experiência traumática pós-parto. Infelizmente, é assim que se resume Pieces of a Woman com o máximo de cautela para evitar spoilers. Sem rodeios, Martha (Vanessa Kirby) nos faz desabar logo na primeira cena do filme, entregando uma performance convincente que gradualmente nos faz escolher um lado da história e recortar o antagonismo de Sean (Shia LaBeouf) – o que só piora quando você considera as acusações de assédio ao ator, fora das telas.

Em tradução literal, Pieces of a Woman é “pedaços de uma mulher”. A explicação fica evidente quando, ao decorrer da obra, temos Martha em uma montanha-russa de emoções, pegando “pedaços” de sua vida. Estes pedaços também podem ser interpretados com base na estrutura, dado que há saltos temporais entre vários dos acontecimentos, na tentativa de converter a atenção do espectador para conferir o longa de maneira ativa (“tapando os buracos”).

A dupla pode até carregar Pieces of a Woman, mas, particularmente, somente Vanessa Kirby merece ser aclamada por sua atuação impecável. (Divulgação)

Se você é um cinéfilo de plantão, que tem prazer por criar empatia com personagens cativantes (mesmo que você veja-os serem destruídos por dentro), Pieces of a Woman é para você. A química do casal em momentos de afeto serve como o contraponto perfeito das cenas mais depreciativas, de cortar o coração.

Há o peso do fator entretenimento, mas quem mergulha de verdade na história dificilmente terá vontade de assistir duas vezes, principalmente quem não precisa de muito para se sentir ansioso. Monólogos e cenas sem cortes te dão um “empurrãozinho” em prol da imersão, o que afasta e incomoda quem não apreciar esse tipo de envolvimento com uma personagem tão forte – sim, haja saúde mental para aguentar essa dose de emoção.

Trajetória até o Globo de Ouro

Em setembro, o filme foi lançado no Festival Internacional de Cinema de Veneza e, pouco depois, a Netflix adquiriu os direitos de distribuição. No fim do mês, foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Toronto (TIFF) e chegou às redes de cinema somente várias semanas depois, em 30 de dezembro. Por fim, no dia 7 de janeiro deste ano Pieces of a Woman fez sua estreia na Netflix, onde ficou por três dias consecutivos no topo da lista dentre os mais assistidos ao redor do mundo.

Pieces of a woman vanessa kirby e ellen burstyn
Martha se destaca em cenas devastadoras de diálogos com sua mãe Elizabeth, interpretada por Ellen Burstyn. (Divulgação)

O filme foi bem recebido pelos assinantes da Netflix e também pela crítica. Tem atualmente 7.9 estrelas no IMDb, 87% de aprovação do público e 76% da crítica no Rotten Tomatoes, nota 6.7 no Metacritic e 3.5 estrelas no Letterboxd. Sem dúvidas um elogio em comum vai para a protagonista, enquanto o maior argumento que torna o filme “mediano” para alguns é a cena inicial ser um ponto muito forte e a 1h30 restante não valer a experiência.

Indicações e apostas

Pieces of a woman vanessa kirby e kornél mundruczó
Kornél Mundruczó dirige Kirby em cena. (Divulgação)

Vanessa venceu o prêmio de melhor atriz no Festival Internacional de Cinema de Veneza e foi indicada outras dez vezes por seu papel em Pieces of a Woman. Ela também é uma das “queridinhas” para vencer o prêmio no Critics’ Choice Awards, que acontecerá exatamente uma semana após o Globo. Das premiações que já ocorreram, ela levou para casa um prêmio New Mexico Film Critics e um prêmio “virtuoso” do Festival Internacional de Cinema de Santa Barbara. Outra cerimônia pós-Globo é o respeitado SAG (Screen Actors Guild), do dia 4 de abril.

Vanessa Kirby ganha sua primeira indicação ao Globo de Ouro e tem duas grandes concorrentes, que já venceram prêmios por suas atuações no circuito de festivais. Carey Mulligan (Promising Young Woman) se destacou nos festivais de Houston, San Diego e St. Louis; Frances McDormand (Nomadland) ganhou o London e o Alliance of Women Film Journalists. Mesmo com a válida e óbvia indicação para Vanessa, o filme merecia no mínimo outra, para a direção de Kornél Mundruczó. Menção honrosa para o roteiro da húngara Kata Wéber, sendo este o primeiro grande trabalho dela de sucesso a nível mundial.

Pieces of a woman vanessa kirby
Emoções à flor da pele! (Divulgação)

Viola Davis (com o trabalho espetacular em A Voz Suprema do Blues) está como a mais bem cotada por diversos “termômetros da crítica”, sendo uma difícil competidora para Vanessa. A vitória seria merecidíssma e, de longe, ela é responsável por carregar o filme inteiro nas costas – com elegância e graça.

Pieces of a Woman está disponível na Netflix. Para conferir outros filmes indicados, vale a pena ficar ligado na nossa cobertura do Globo de Ouro 2021!