Desenvolvimento

Obama anuncia metas de combate às mudanças climáticas

O presidente Barack Obama parece estar disposto a cumprir o discurso feito em sua posse e reiterado em maio deste ano através do Twitter.

O presidente Barack Obama parece estar disposto a cumprir o discurso feito em sua posse e reiterado em maio deste ano através do Twitter, em que o líder norte-americano diz querer mais esforços de seu país no combate às mudanças climáticas.

Nesta terça-feira (25), a Casa Branca divulgou o plano feito para este propósito, que conta com três frentes específicas: reduzir as emissões de carbono, preparar os EUA para os impactos das mudanças climáticas e liderar esforços globais para combatê-la.

Por falta de apoio para estas propostas no congresso, Obama se limitou a planejar apenas ações executivas que podem ser aplicadas a partir de sua própria tomada de decisões como presidente da nação. O informativo diz que as mudanças climáticas não estão distantes e os eventos ocorridos nos últimos anos demonstram que os impactos disso já são sentidos em todo o mundo.

A Casa Branca informa que entre as medidas para reduzir as emissões de gases de efeito estuda está a limitação de poluentes como: arsênio, mercúrio e chumbo, principalmente nas usinas de energia. Durante o primeiro mandato de Obama, a produção norte-americana de energia limpa mais do que triplicou. A proposta agora é a de dobrar o montante atual, chegando a ter 20% da demanda proveniente de energia limpa até o ano de 2020.

Obama também pretende incentivar o desenvolvimento de novas tecnologias e melhoria nos sistemas de transmissão de energia. Além de criar parcerias com a iniciativa privada, com o intuito de aumentar o capital destinado à eficiência energética.

O presidente também pretende deixar a população mais segura, reduzindo a vulnerabilidade, principalmente, das instalações costeiras. “Por necessidade, muitos estados, cidades e comunidades já estão planejando e se preparando para os impactos das mudanças climáticas. Hospitais devem desenvolver capacidade para atender os pacientes durante as ondas de calor mais frequentes e os planejadores urbanos devem se preparar em criar estruturas que aguentem as tempestades”, diz a Casa Branca.

Além disso, as agências governamentais deverão priorizar investimentos em infraestrutura para situações extremas direcionados a diversas áreas, entre elas: transporte, moradia e gestão de recursos naturais.

Por fim, o terceiro ponto anunciado por Obama é o estímulo ao esforço mundial de combate às mudanças climáticas. Em 2009 o presidente criou o Fórum das Maiores Economias de Energia e Clima, que reúne os 17 principais poluidores do mundo. “Estamos propondo que o Fórum trabalhe com empenho, lançando neste ano grandes iniciativas focadas no ganho de eficiência energética e incentivando inovações no setor de construção civil, responsável por um terço das poluições globais”. Os EUA ainda deverão se comprometer com outras metas globais e incentivar que outros países façam o mesmo.

Redação CicloVivo