Geek

Nintendo faz mais de US$ 1 bilhão em plataformas móveis. Fire Emblem é o destaque

Escrito por Paulo Carmino

Os seis jogos da Nintendo lançados em plataformas móveis já geraram mais de US$ 1 bilhão em receita combinada, e mais da metade deste montante veio justamente de uma das franquias de menor popularidade: Fire Emblem Heroes.

De acordo com dados da Sensor Tower, o jogo de estratégia para iOS e Android arrecadou mais de US$ 656 milhões, ou 61% da receita total da Nintendo nas plataformas móveis. Curiosamente, Fire Emblem foi menos baixado que os outros títulos para celular da Nintendo, mas seu modelo de monetização se mostrou o mais eficiente, com uma receita por download média de US$ 41.

O segundo jogo para celular mais bem sucedido da Nintendo foi Animal Crossing: Pocket Camp, responsável por 12% de todos os gastos dos usuários, seguido por Dragalia Lost, com 11%.

Surpreendentemente, os jogos da série Mario foram aqueles que tiveram desempenho comercial mais fraco, com Mario Kart Tour e Super Mario Run contribuindo com uma receita total de 8 e 7%, e Dr. Mario World sendo responsável por apenas 1%.

O Japão é, como esperado, o maior mercado da Nintendo em plataformas móveis. De lá vieram US$ 581 milhões, ou 54% da receita total. Os EUA ficam em segundo lugar com US$ 316 milhões, ou 29%. Diferente do Japão, que foi conquistado por Fire Emblem, os gastos com Mario Kart Tour e Super Mario Run foram os maiores nos EUA.

Em termos de downloads, Super Mario Run é o jogo da Nintendo em plataformas móveis mais popular, com 244 milhões de downloads, 54% dos 452 milhões de downloads totais. As 147 milhões de instalações de Mario Kart Tour representaram 32% e Fire Emblem Heroes, o mais lucrativo, é responsável apenas por 4% do total de downloads.

A Nintendo tem experimentado novos modelos de receita mais agressivos para seus títulos para celular, com Mario Kart Tour e Animal Crossing: Pocket Camp lançando serviços de assinatura. Em novembro, o presidente da Nintendo, Shuntaro Furukawa, disse aos investidores que os ganhos do Mario Kart Tour tinham começado bem.

“Além de itens aleatórios, criamos oportunidades para gerar receita, como a assinatura Gold Pass, para atender a diversas necessidades dos consumidores, permitindo que eles aproveitem o jogo”, disse ele.

Sobre o Autor

Paulo Carmino