Geek

Naughty Dog ainda considera lançamento digital antecipado de The Last of Us Part 2

Escrito por Paulo Carmino

A Sony e a Naughty Dog ainda estão estudando a melhor forma de lançar The Last of Us Part 2 o quanto antes para os fãs, e não descartaram a possibilidade da versão digital sair na data estipulada originalmente, em 29 de maio.

Na semana passada, os produtores anunciaram que The Last of Us Part 2 foi adiado indefinidamente devido a interrupções na cadeia de distribuição causadas pela pandemia do novo coronavírus. A Naughty Dog afirmou que, embora o desenvolvimento do jogo estivesse quase completo, “problemas logísticos” causados ​​pela pandemia significavam que não seria capaz de garantir que “todos pudessem jogar o jogo ao mesmo tempo”.

O adiamento, portanto, está relacionado à versão em mídia física do jogo e não impede que a versão digital seja distribuída pela PlayStation Store na data prevista anteriormente. Porém, um lançamento antecipado em mídia digital poderia frustrar ainda mais o público que reservou o jogo na versão física, e isso parece ser o dilema que a Naughty Dog enfrenta no momento.

Falando em uma nova entrevista ao podcast oficial do PlaySation, o diretor de The Last of Us Part 2, Neil Druckmann, disse que o estúdio estava considerando “todo tipo de opções diferentes” para lançar a sequência “o mais rápido possível”. No entanto, o escritor e designer sugeriu que ele queria evitar uma situação semelhante à do remake de Final Fantasy VII, quando uns poucos privilegiados receberam o jogo mais cedo.

Questionado se a Naughty Dog ainda poderia lançar o jogo digitalmente a tempo da data de lançamento original de maio, Druckmann respondeu:

“Ainda não houve uma decisão final. No momento, estamos apenas reagindo a… é uma cadeia de varejo diferente, se poderíamos levar cópias físicas para as pessoas, se a infraestrutura da internet é suficiente em todos os países”.

“Este é um jogo mundial que as pessoas em todos os países estão esperando e queremos ter certeza de que somos justos. Se lançarmos [o jogo] para uma pequena fração das pessoas, o que acontece com as pessoas que não recebem?”

“No momento, estamos analisando todos os tipos de opções diferentes. Qual é a melhor maneira de levar o jogo a todos os nossos fãs o mais rápido possível? Levará tempo para que as coisas mudem, para descobrir as coisas e também para ver onde o mundo está: as coisas estão mudando de um dia para o outro”.

Questionado se a Naughty Dog poderia apaziguar os fãs com o lançamento de uma demo, Druckmann disse que prefere se concentrar em terminar o jogo final.

“É muito diferente quando você tem uma demo para o jogo que pode ser lançada em uma convenção ou evento de imprensa, e pode haver pessoas da Naughty Dog assistindo para garantir que tudo funcione bem”, explicou.

Druckmann revelou que toda a equipe de The Last of Us trabalha em casa há várias semanas e está focada na correção de bugs e no polimento final.

Sobre o Autor

Paulo Carmino