Tecnologia

Moto G7 Power surpreende com desempenho da bateria

Escrito por Paulo Carmino

Totalmente despretencioso, o Moto G7 Power se destaca pela eficácia e especialmente pela durabilidade da bateria

A espera pareceu longa, mas ele está aqui: o Moto G7 Power. É de lei: desde 2013 um dos lançamentos mais esperados da Motorola são as novidades guardadas para a linha Moto G. Este ano não poderia ser diferente: com quatro novos lançamentos, a linha concilia desempenho padrão de um bom intermediário que se preze com toques de ponta de linha com custo-benefício.

Mas, verdade seja dita, a estrela da vez não é o modelo de ponta da família Moto G, pelo contrário. É um modelo mais simples, até um pouco robusto demais se comparado com a concorrência, mas quando o assunto é bateria, o G7 Power dá passos largos para tomar a dianteira.

Afinal, o resultado não poderia ser diferente. Com 5.000 mAh, o celular dura até 55 horas com uma carga apenas. É ideal para aqueles que desejam um modelo que cumpra suas funções básicas em um longo período de tempo. É aquilo: se tudo o que você procura seja um bom desempenho da bateria, este é o seu modelo. Mas não se afobe, há muito mais que este modelo pode oferecer. Confira:

Design

Design traseiro herda traços da geração anterior

O que primeiro salta aos olhos é o entalhe da tela, muito próximo daquilo oferecido em linhas premium da concorrência. Ponto positivo. Diferentemente do Moto G7 e Moto G7 Plus, este modelo não possui a tela notch em formato de gota, mas nada que faça diferença no resultado final. De resto, tudo o que você pode esperar é muito próximo ao antecessor Moto G6, e um pouco do Moto E também aparece aqui e ali. Não é nada digno de nota.

Ah, o resultado final se aproxima ao Motorola One, porém o notch deixa um pouco a desejar, uma vez que a empresa deu valor à ergonomia do que a simetria. Não vá esperando um recorte de tela perfeito.

Por sua vez, podemos dizer que o G7 Power é mais “gordinho” do que sua concorrência. Robustez essa se deve muito à bateria. Em comparação com o Moto G7, por exemplo, nota-se que o Power é ligeiramente mais pesado devido a bateria maior, com 193 gramas. Mas isso não gera nenhum incômodo, o aparelho cabe bem na mão.

Mantendo a tradição da família, o Moto G7 Power mantém o visual estabelecido por seu avô Moto G5: o qual une o sensor da câmera e o Flash LED em uma moldura circular. Mas não para por aí.

Não é somente de tradição que vive a linha Moto G7, há tambem algumas familiaridades com o Motorola One: o sensor biométrico ligado ao logotipo da empresa. Basta um simples toque (que achei mais sensível do que um modelo da Apple, por exemplo) e o celular está desbloqueado. Simples assim. O design não é tão afiado quanto os modelos Moto G7 ou Moto G7 Plus, mas é devidamente satisfatório e cumpre bem o seu papel.

Tela

Moto G7 Power
Notch não é simétrico mas não chega a incomodar

A tela do Moto G7 Power pode sim ser considerada grande: 6,2 polegadas. O entalhe tenta promover algum tipo de otimização, mas falha devido a falta de simetria. O canto superior é diferente do anterior. Porém, diferentemente do Play, não é algo que cause algum desconforto, exatamente por seu grande trunfo. O tamanho aqui fez diferença. Isso significa que o usuário vai poder e terá bastante espaço para navegar sem preocupações. O display tem resolução HD+ (1520 x 720 pixels) e 271 pixels por polegada.

Quando o assunto é qualidade, o modelo segue o padrão Motorola em relação a contraste, brilho e nitidez. Não fica aquém, mas também não vai além por assim dizer. Não possui a nitidez de modelos como G7 Plus, mas é uma tela de respeito. Para a categoria, é deveras satisfatória. Outro aspecto positivo neste modelo é que a tela ser de LCD não é um aspecto negativo, veja só, exatamente devido ao tamanho e qualidade da bateria. Este Motorola é para aqueles que querem mídia. 

Software

Moto G7 Power
Como de costume, a Motorola não mexeu muito nos software do G7 Power

O sistema de fábrica para este modelo e para toda a nova família do Moto G é o Android Pie 9. Fora isso, pouco muda em relação a outros modelos da marca. Aqui, segue à risca a política da Motorola em manter poucas alterações a cada lançamento. As novidades ficam com a navegação por gestos, bem como a nova central de atalhos rápidos e o tema escuro automático. 

É esperado, assim com a todos os modelos integrantes da família Moto G7, o update para o Android Q, embora não haja data definida ou sequer previsão para tal.

Além disso, o Moto G7 Power é o único dos novos modelos que conta com a função de TV Digital (DTV), algo que pode ser interessante para quem gosta de assistir a programação de canais abertos em qualquer lugar .Aqui, a vontade do consumidor é atendida e a qualidade da imagem é competente. Ah, o Google Lens também é outro recurso que está totalmente integrado ao sistema.

Performance

Moto G7 Power
Performance se iguala a um intermediário comum, mas não decepciona

Quanto à performance, o Moto G7 Power é deveras competente. Extraordinário? Talvez não. Embalado pelo processador Snapdragon 632, com 3 GB de memória RAM (1 GB a mais que, veja só, o Moto G7), o processador tem oito núcleos de 1,8 GHz e armazenamento de 32 GB

Para todos os efeitos, o hardware do dispositivo atenderá muito bem a todos os usuários que tem como prioridade acessar redes sociais, editar fotos, consumir conteúdo de streaming ou jogar títulos com requisitos gráficos médios. Não é o modelo indicado para os gamers que desejam e necessitam de eficiência de ponta, já que o G7 Power não é capaz de reproduzir jogos mais pesados com qualidade. Em contrapartida, reproduz a vídeos e outras mídias com qualidade competente.

Câmera

Eis um item que me deixou surpreendida, devo dizer. Isso porque propus aqui em casa uma atividade divertida: pedi para minha mãe (que nada entende de tecnologia, ou tampouco de fotografia) tirar fotos do meu gato em ambientes diferentes da casa. O resultado? Cliques em ambientes claros, abertos, escuros, fechados, com zoom, não saíram tremidas e de má qualidade – que me deixou um pouco incrédula e a minha mãe orgulhosa. 

Moto G7 Power
Resultado de algumas fotos: alteração na luz, ambiente e espaços, todas as fotos saíram com boa nitidez e brilhantes. Indicado para aqueles que desejam boas fotografias sem muita complicação

Para aqueles que desejam informações mais técnicas: sensor principal tem 12 MP e abertura de lente f/2.0, enquanto a câmera frontal é de 8 megapixels e tem abertura f/2.2. Não são configurações de ponta, mas ideal para aqueles que desejam imagens bonitas e brilhantes para redes sociais. Posso dizer que, pelo menos, a minha mãe está satisfeita. 

Bateria

Motorola Moto G7 Power
Maior diferencial da versão Power. Bateria de sobra para dois dias de uso

O grande protagonista deste modelo, a bateria do Moto G7 Power é tudo, menos modesta: são 5.000 mAh que colocam este celular da Motorola em uma das primeiras colocações no Hall da Fama dos smartphones com bateria competente no Brasil.

A Motorola aposta em até 55 horas de uso contínuo fora da tomada, pouco mais do que 2 dias, levando em consideração que essa estimativa é feita em laboratório. Na prática, foi, de fato, 2 dias de uso contínuo, sem que a bateria cedesse ou deixasse na mão. Coloque no balaio: redes sociais, mensagens de WhatsApp e fotos. Aproveitei para testar um jogo de performance mediana e a bateria seguiu firme e forte. Resultado: a Motorola não exagerou na eficiência da bateria. Se este é o seu principal objetivo, podemos prever que sairá satisfeito no processo.

O mais interessante seja, talvez, o carregamento Turbo Power, que faz com que o dispositivo seja carregado por completo mais rápido e em pouco tempo. Felizmente, a Motorola colocou um cabo USB no modelo para facilitar a conexão e tornar tudo descomplicado. Ah, e não custa lembrar que o carregador rápido vem na caixa do produto, e não é preciso comprá-lo separadamente, ainda bem!

Conclusão do Moto G7 Power

Talvez não há outra palavra que defina melhor este modelo que: bateria. Sim! Ela é tudo isso. Vale a pena! A Motorola sabe disso e quer deixar bem claro para o consumidor.

A TV digital é outro recurso exclusivo deste modelo na linha e que combina, afinal é um artifício que exige demanda da bateria. Afinal, dá para fazer um pouco de tudo ao longo do dia e ainda sobrará bastante carga para ver programas de TV, jornais, séries, desenhos e novelas. 

Por outro lado, este modelo entrega um sistema mais simples que seus concorrentes, como a série Galaxy J, da Samsung, e está mais para um rival do Zenfone Max Pro M1, que também tem software pouco alterado, especificações semelhantes e bateria com boa capacidade.

Em todo caso, sendo um herdeiro da primeira geração do Moto G Play (que vinha com bateria maior) ou do Moto Maxx, o G7 Power é um lançamento bem-vindo no mercado nacional, e, sem sombra de dúvidas, tem tudo para se tornar o aparelho mais popular da Motorola esse ano.

Você pode adquirir este modelo por R$1.399,00.

Especificações Técnicas

Especificações Moto G7 Power
Tela 6,2 polegadas
Resolução tela HD+ (1520 x 720 pixels)
Processador Snapdragon 632
Memória RAM 3 GB
Armazenamento 32 GB
Câmera traseira 12 megapixels
Câmera frontal 8 megapixels
Sistema operacional Android 9 (Pie)
Bateria 5.000 mAh
Dimensões e peso 159,4 x 76 x 9,33 mm; 193 gramas
Preço R$ 1.399

Moto G7 Power

  • Design – 8/10
  • Tela – 8/10
  • Software – 7/10
  • Desempenho – 7/10
  • Performance – 8/10
  • Câmera – 8/10
  • Bateria – 9/10

7.86/10

Sobre o Autor

Paulo Carmino