Tecnologia

Intel anuncia novos processadores Xeon com até 56 núcleos e foco nos dados

Escrito por Paulo Carmino

Com foco em servidores de alto desempenho e inteligência artificial, a Intel lança série de processadores e novas tecnologia voltadas ao armazenamento de data

Em dia voltado ao desenvolvimento e processamento, o Data-Centric Day, a Intel anunciou, em São Francisco, uma série de novidades para o mundo da tecnologia. Com novas tecnologias chamada Optane e uma segunda geração dos processadores Xeon Scalable com até 56 núcleos de processamento e foco nos dados.

Partindo do pressuposto de que cerca de apenas 2% de dados foram de fatos analisados e de que, dentro deste volume, metade dele foi criado nos últimos dois anos, a atitude da Intel surgiu da urgência.

A empresa está focada em ajudar as empresas a criar valor comercial a partir desses dados inexplorados por meio da entrega de um portfólio de soluções centradas em dados, otimizadas para mover dados com mais rapidez, armazenar e acessar dados com eficiência e processar tudo.

Processamento de tudo para todos

O foco do Data-Centric Day é ampliar o catálogo da Intel e promover uma mudança da maneira que o mercado lida com dados

O investimento da Intel resultou em um amplo portfólio de processadores, que vai, desde a computação de uso geral até os processadores de uso específico e permite que a chamada arquitetura Intel alimente a mais ampla variedade de setores.

Os processadores centrados em dados que a Intel lançou hoje representam o portfólio mais expansivo dos processadores Intel Xeon na história da empresa, com mais de 50 processadores.

O que torna a segunda geração dos Xeon Scalable tão especiais é sua capacidade de fornecer uma plataforma poderosa que oferece aprimoramentos evolutivos em desempenho, suporte para Inteligência Artificial, funções de rede, banda larga e segurança de memória.

Data-Centric Day
Ecossistema do Optane é um dos pontos altos do Data-Centric Day

Os processadores foram adotados por clientes em todo o mundo como a base do processamento de data center. Espera-se que o amplo suporte ao ecossistema e a rápida adoção pelos clientes tornem a Segunda Geração uma opção para servidores de alto desempenho.

Recursos

Os principais recursos incluídos nestes novos processadores e que valem à pena ser citados começa com a chamada Deep Learning Boost, tecnologia otimizada para acelerar as cargas de trabalho de inferência da Inteligência Artificial, como reconhecimento de imagem, detecção de objetos e segmentação de imagens em ambientes de computação de data center, corporativos e daquilo que eles entendem como borda inteligente (caminho no qual.

A Intel trabalhou extensivamente com parceiros do ecossistema para otimizar estruturas e aplicativos que aproveitam ao máximo tal tecnologia. Os clientes podem escolher ferramentas aprimoradas como o OpenVINO para facilitar a implantação.

Outro aspecto no qual estes processadores gozam é a capacidade de suporte para a chamada Intel Optane Data Center, que oferece alta capacidade e persistência acessíveis ao portfólio de computação centrada em dados da Intel.

Ao mover mais dados para a memória, essa inovadora inovação permite que os usuários liberem insights mais rápidos de seus dados e ofereçam até 36 TB de capacidade de memória no nível do sistema quando combinados com a DRAM tradicional em um sistema de oito soquetes.

Isso representa um aumento de 3 vezes na capacidade de memória do sistema em comparação com o processador Intel Xeon Scalable da geração anterior.

Isso porque, excedendo a tudo já lançado pela empresa até então e confirmando alguns rumores e outras tantas certezas, há, entre tantas possibilidades, uma estrela que merece ser destacada: o chamado Xeon Scalable Platinum 9200 e que entrega 56 núcleos em uma única unidade. Some a isso mais 12 canais de memória DDR4 sob o processamento de 14 nanômetros e temos, sem sombra de dúvidas, o melhor processador da Intel até o presente momento.

Parece vago? Para se ter uma idéia, o mais próximo disso na empresa sça justamente a érie são os chips da linha Scalable Processor (apelidada carinhosamente de, olha só, Xeon SP) e que contam com exatamente 28 núcleos e 56 threads. Para efeito de comparação, é um feito impressionante. O foco? Inteligência Artificial. A Intel dá passos largos para assumir a dianteira em matéria de processamento.

O portfólio dos processadores completam-se com os modelos Intel Xeon Scalable Bronze 3200, Silver 4200, Gold 5200, Gold 6200 e Platinum 8200, fora o potente Intel Xeon Scalable Platinum 9200

Data-Centric Day: feitos nada ordinários

E tudo neste lançamento parece grandioso, a começar por seu nome, que, anteriormente, era conhecido como Cascade Lake. E, como tal, ele é um tanto quanto sugestivo. Na prática, isso significa que a Intel optou por implementar múltiplos dies em um único encapsulamento, o que, em outras palavras, uma espécie de matriz de dies, que uniu-os todos juntos em um só lugar.

É como se a segunda geração Xeon seja vários chips concentrados em um só. Algo conhecido no mercado como Multi-Chip Package (MCP). Embora não seja necessariamente uma novidade no mercado, é a primeira tentativa da Intel com a tecnologia.

Sendo 20% mais rápidos que seus antecessores, a segunda geração Xeon tem uma grande vantagem quando o assunto são inconscistências, já que, ao optar pelo uso de matrizes menores, não há um aumento significativo de transistores, algo que aconteceria se mantivessem um núcleo maior.

Vale lembrar que os chips também são capazes de lidar com um grande número de dados, e não é para menos, são 12 canais de memória DDR4.

O Data-Centric é um evento que está rolando em São Francisco e as novidades vão sendo atualizadas nestes post.

Sobre o Autor

Paulo Carmino