Decoração & Design

Indonésia terá arranha-céu que gera energia eólica

Prédio sustentável de 100 andares vai aproveitar o vento das alturas para produzir eletricidade.

Um arranha-céu sustentável de 100 andares e 500 metros de altura será construído em Jacarta, capital da Indonésia. O enorme edifício será capaz de gerar a sua própria energia, por meio de uma estrutura que capta os ventos e os direciona para as torres eólicas instaladas no próprio terreno. Além de ser  mbientes internos.

O gigante edifício vai abrigar a sede da Pertamina, empresa de energia pertencente ao governo da Indonésia, que tem revelado preocupação com o meio ambiente. Segundo os arquitetos do escritório SOM, responsáveis pelo projeto, o prédio indonésio será o primeiro arranha-céu do mundo a conquistar independência da rede elétrica, gerando sua própria energia por meio de um sistema – inspirado na forma de um funil – capaz de alimentar diversas torres eólicas.

A conclusão do arranha-céu está prevista para 2020, gerando emprego para mais de 20 mil operários. Além da geração de energia eólica, a sede da empresa estatal também contará com painéis solares, que vão produzir eletricidade limpa para edifícios menores do terreno, como um auditório e uma mesquita.

Os arquitetos do escritório SOM revelaram ao site Fast Co. que o arranha-céu ainda poderá aproveitar o calor gerado nos vulcões da Indonésia para abastecer com energia geotérmica o arranha-céu. Como as formações vulcânicas são bastante comuns no país, este tipo de energia já é bem utilizado na Indonésia.

Apelidado pelos arquitetos de “campus vibrante”, o arranha-céu sustentável também conta com diversas estratégias para a redução dos gastos com energia elétrica, sobretudo no sistema de ar-condicionado. Assim, a torre possui uma fachada especial que possui mecanismos capazes de projetar sombras nos ambientes internos, aliviando, naturalmente, as temperaturas durante os dias mais quentes do ano.

Redação CicloVivo