Tecnologia

icônica marca de celulares chega ao fim

Escrito por Paulo Carmino

A TCL, fabricante dos celulares da Blackberry, agora irá investir em celulares dobráveis. Conheça outras gigantes que também chegaram ao fim com a chegada de novos concorrentes e com o avanço da tecnologia.

Seja em filmes e séries norte-americanos ou no “boom” de celulares dos anos 2000, o inconfundível teclado QWERTY dos produtos Blackberry marcaram história. Infelizmente, informamos que essa história chegará ao fim, pois a partir de agosto deste ano a marca irá parar de comercializar seus produtos.

O anúncio foi realizado pela TCL, atual fabricante dos smartphones da marca e que agora busca investir em celulares dobráveis. A decisão ocorreu após diversas tentativas de fazer com que a marca voltasse a conquistar relevância internacional.

Os dispositivos ainda em circulação contarão com suporte até 2022, de modo a que a garantia dos aparelhos seja honrada. Ainda existe a possibilidade que outras fabricantes assumam a produção de novos celulares, mas até ao momento nenhuma demonstrou interesse. Caso o cenário permaneça assim, é possível que a empresa deixe o mercado definitivamente.

Modelos tradicionais do Blackberry com o icônico teclado QWERTY (Divulgação)

A perda de espaço da BlackBerry no mercado é resultado de sua dificuldade em competir com as novas tecnologias que surgiram com o passar dos anos. A introdução das telas touch screen e o surgimento dos sistemas operacionais iOS e Android foram os grandes responsáveis pela deterioração da marca.

Essas inovações alteraram a maneira como lidamos com a tecnologia móvel, multiplicando as possibilidades de uso de um aparelho celular. Hoje, é possível não apenas fazer ligações e enviar mensagens, mas também jogar o que há de mais moderno no mercado, dar palpites em sites de apostas esportivas, o que deixa muitos usuários na dúvida entre os sites de apostas sportingbet ou o bet365, e até mesmo realizar transações bancárias ou investimentos.

Os aparelhos BlackBerry se tornaram um verdadeiro sonho de consumo para muitos durante o início dos anos 2000, em uma época em que as telas touch screen eram apenas um sonho. Com isso, a marca se popularizou ao oferecer dispositivos com eficientes teclados de plástico, que facilitaram a digitação de letras e números.

Do sucesso à decadência

A Blackberry não é a única marca que, após um período de forte sucesso, acabou caindo em decadência. Na verdade, isso é algo bastante comum, especialmente no mercado tecnológico, em que novas tecnologias são introduzidas a todo momento. Pensando nisso, listamos abaixo outras grandes marcas que conseguiram atingir o topo, para logo em seguida ficarem paradas no tempo.

Eastman Kodak Company

Rolos de filme Kodak
A multinacional de fotografia não sobreviveu à transformação para o mundo digital (Divulgação

A Eastman Kodak Company foi uma empresa multinacional especializada em equipamentos fotográficos profissionais e amadores. Ela esteve em alta durante boa parte do século XX, sendo destaque principalmente pela venda de filmes fotográficos. Seu principal produto, contudo, logo se tornou obsoleto com a chegada da tecnologia digital. Mas, curiosamente, os filmes fotográficos parecem ainda não ter encontrado seu fim.

Itautec S/A

Notebook Itautec
A empresa nacional já deixou de existir há 7 anos (Divulgação)

A Itautec S/A foi uma empresa 100% brasileira, tendo ganhado notoriedade pela produção e venda de equipamentos de TI, automação comercial e automação bancária. Com cinco subsidiárias espalhadas pelo mundo, a companhia chegou a possuir a décima maior base instalada de caixas eletrônicos do mundo, além da maior rede própria de assistência técnica em informática do país.

A marca, contudo, foi encerrada em 2013, tendo a maior parte de sua participação nas áreas de automação bancária e comercial e prestação de serviços transferidas para a empresa japonesa Oki.

SEGA

logotipo sega
Uma das “ex-gigantes” do mundo dos consoles (Divulgação)

Durante os anos de 1980 e 1990 a SEGA era uma das principais empresas do mercado de consoles de videogames, rivalizando outra gigante, a Nintendo. Ela foi a responsável pela criação do personagem Sonic, que acaba de ganhar um filme, mas seu auge foi resultado de suas inovações nas áreas de software e hardware.

A queda veio apenas com o lançamento do seu último console, o Dreamcast, que causou um enorme prejuízo e obrigou a empresa a se reestruturar. Com isso, a SEGA abandonou a fabricação de hardware e, hoje, dedica-se estritamente ao desenvolvimento de games para outras empresas.

Napster

logotipo napster
Napster era a grande de compartilhamento de áudios, antes do mundo do streaming (Divulgação)

Mesmo com uma vida curta – permaneceu no ar apenas entre junho de 1999 e julho de 2001 – a Napster foi pioneira no compartilhamento de arquivos P2P, com foco principal em arquivos MP3. Seu caráter inovador, no entanto, também foi o principal responsável por sua queda. Sendo a precursora no compartilhamento de arquivos MP3, a marca foi processada por diversas grandes gravadoras, o que gerou uma ordem judicial para o encerramento de suas operações.

Sobre o Autor

Paulo Carmino