Meio Ambiente

Governo de SP lança programa para recuperar a represa Guarapiranga

O governo de São Paulo lançou na última terça-feira o Programa Nossa Guarapiranga. Fazem parte da iniciativa a retirada do lixo acumulado na represa e o plantio de mudas em ilhas próximas e às margens da Guarapiranga.

O governo de São Paulo, em parceria com a Sabesp, lançou nesta terça-feira (7) o Programa Nossa Guarapiranga. Fazem parte da iniciativa a retirada do lixo que chega à represa pelos córregos e do que já está acumulado em parte de seu fundo e o plantio de mudas em ilhas próximas e às margens da Guarapiranga.

O objetivo é melhorar a qualidade ambiental da represa e garantir as condições para o lazer e para a prática de esportes náuticos na Guarapiranga. O investimento será de cerca de R$ 14,6 milhões. O sistema Guarapiranga abastece cerca de 3,5 milhões de pessoas da região sudoeste da Capital e de Taboão da Serra.

O projeto é dividido em três ações. Serão instaladas ecobarreiras nos pontos em que 11 córregos deságuam na represa. Esses equipamentos, compostos por boias e uma tela submersa, vão conter o material flutuante, que será diariamente removido por barcos. O lixo recolhido terá como destino um aterro sanitário.

Será adquirida uma embarcação para remover o lixo que está acumulado no fundo da represa. Esse barco terá capacidade de retirar material que esteja a até 6 metros de profundidade.

Outra frente do programa é o reflorestamento e paisagismo dos arredores. Já estão sendo plantadas mil mudas nativas em ilhas e às margens da represa. Além de melhorar o visual da Guarapiranga, essa iniciativa evita a erosão no manancial.

O Programa Nossa Guarapiranga promoverá, ainda, o controle das macrófitas (plantas aquáticas). Essas plantas prejudicam o lazer e os esportes náuticos, chegando a impedir a passagem das embarcações. Na Guarapiranga existem 82 tipos diferentes de macrófitas catalogadas. Outro barco será desenvolvido e construído pela Unesp para retirar essas plantas da represa.


                                                                                                    Imagem: Fernanda D'Addezio / CicloVivo

Siga as últimas notícias do CicloVivo no Twitter