Negócios

GAP processa marca indiana que usa lixo como matéria-prima

A marca, reconhecida no mundo inteiro, exige a troca do nome do empreendimento batizado de Green the Gap.

Uma pequena empresa ecológica indiana está sendo processada pela Gap Inc, companhia norte-americana de moda. A marca, reconhecida no mundo inteiro, exige a troca do nome do empreendimento batizado de Green the Gap.

Originalmente, a maior varejista especializada dos Estados Unidos foi batizada de The Gap. Segundo a empresa, o uso do nome pelos indianos infringe a marca e se aproveita da reputação para confundir os clientes.

Sediada na capital da Índia, Nova Déli, a empresa gerencia três lojas no país e produz acessórios e itens de decoração feitos com materiais reciclados. Latas de cerveja, tiras de borracha e caixas de frutas são algumas das matérias-primas aproveitadas para a confecção das peças. 

A Green the Gap foi fundada por Vimlendu Jha, que afirmou à Agência AFP que o ocorrido é uma tentativa de intimidação e que os donos estavam surpresos. “Estamos chocados e furiosos que uma companhia desse tamanho, estatura e suposta respeitabilidade, está se sentindo ameaçada por nosso pequeno negócio”, declarou o indiano.

A companhia foi lançada há cinco anos pela ONG indiana Swechha, que tem foco nas questões ambientais e no desenvolvimento social. “Nossa ideia é reutilizar resíduos para criar produtos úteis, de alta qualidade, mas também estamos determinados a garantir e criar oportunidades de emprego para pessoas desfavorecidas e boas condições de trabalho”, afirma a empresa em seu site.

A empresa também vende produtos de outras marcas preocupadas com a sustentabilidade.  A entrega é feita nas áreas mais remotas, como aldeias indígenas, no prazo de sete dias. Os itens também podem ser encontrados em lojas físicas próprias da rede e varejistas parceiros.

“Queríamos perguntar para as pessoas: é possível consumir menos, e nós podemos consumir de forma verde? Nós reciclamos lixo, o que significa que adicionamos valor ao lixo criando um produto novo e útil”, disse o fundador da Green the Gap à Agência AFP.

A marca indiana está em busca de negociações verbais com a Gap a fim de resolver a questão. 

Com informações do G1

Redação CicloVivo