Tecnologia

Epic Games demite mais de 800 pessoas como tentativa de se reestruturar financeiramente

A Epic Games, criadora de Fortnite e da Unreal Engine, confirmou a demissão de 830 funcionários – o que representa, atualmente, 16% de sua atual força de trabalho.

Segundo Tim Sweeney, CEO da companhia, em um memorando enviado aos funcionários – e que posteriormente foi publicado no site da Epic Games -, a decisão foi tomada, pois “já faz algum tempo que gastamos muito mais dinheiro do que ganhamos investindo na próxima evolução da Epic e no crescimento do Fortnite como um ecossistema inspirado no metaverso para criadores”.

Os funcionários demitidos receberão seis meses de indenização e seguro saúde, além da aquisição acelerada das ações ganhas enquanto trabalhavam para a empresa.

Ainda falando sobre os problemas financeiros, Sweeney afirma que, “embora Fortnite esteja começando a crescer novamente, o crescimento é impulsionado principalmente pelo conteúdo do criador com participação significativa nas receitas, e este é um negócio de margem menor do que tínhamos quando Fortnite decolou e começou a financiar nossa expansão”.

E ele completa: “Concluímos que as demissões são o único caminho e que fazê-las agora e nesta escala estabilizará nossas finanças”.

Outros cortes da Epic Games

Imagem: mundissima/Shutterstock.com

A Epic Games não realizou apenas demissões para tentar se reestruturar. A empresa também desmembrou alguns de seus negócios. O Bandcamp, por exemplo, está indo para o mercado musical Songtradr.

Além disso, “a maior parte da Superawesome”, incluindo sua empresa de publicidade, se tornou independente. A Epic acredita que isso vai ajudar a se reestabelecer – ao mesmo tempo em que reduz o número de funcionários em mais de 250.

Ainda segundo Sweeney, dois terços dos cortes ocorreram “em equipes fora do desenvolvimento principal” de seus principais produtos, como Fortnite, Rocket League, Fall Guys, Unreal Engine e Epic Games Store.

“Alguns de nossos produtos e iniciativas chegarão dentro do prazo e outros podem não ser entregues quando planejado porque não têm recursos suficientes no momento”, descreve o executivo.

Por fim, foi dito que a Epic não demitirá mais funcionário, já que a esperança é de que esta rodada irá “estabilizar financeiramente o negócio”.

Aumento de V-Bucks

V-bucks

Imagem: Divulgação/Epic Games

Vale citar que os cortes acontecem um dia depois da empresa anunciar um aumento no preço dos V-bucks, moedas usadas dentro do Fortnite.

Os reajustes devem atingir a República Tcheca, Dinamarca, países da zona euro, Hungria, Japão, Noruega, Polônia, Romênia, Suécia, Turquia e Estados Unidos.

A partir de 27 de outubro, devido a “fatores econômicos como inflação e flutuações da moeda”, o custo de pacotes de 1.000 V-Bucks vai aumentar de US$ 7,99 para US$ 8,99 (de R$ 40 para R$ 45 em conversão direta).

No caso de pacotes maiores, de 13.500 V-bucks, o aumento é ainda mais significativo, passando de US$ 79,99 para US$ 89,99 (de R$ 400 para R$ 450).

Via: PC Gamer


Créditos: TecMasters