Vida Sustentável

Doença do coração é associada à falta de vitamina D, revela estudo

Pesquisa constatou a falta da substância em pacientes com aterosclerose, doença que prejudica o fluxo sanguíneo do coração e pode causar infarto.

Um estudo realizado pela American College of Cardiology avaliou 1.484 pacientes e constatou que 32% deles sofrem com a doença arterial coronariana (aterosclerose) e apresentaram níveis baixos de vitamina D.

O nível de vitamina considerado baixo foi de 20 ng/ml, sendo o recomendado entre 35 e 55 ng/ml no sangue. Ainda, doentes com taxas inferiores a 10 ng/ml resultou no aumento progressivo da doença cardíaca.

A carência da vitamina também foi notada em 70,4% dos pacientes submetidos à angiografia coronariana, exame de imagem usado para analisar a fluidez do sangue através das artérias do coração.

A função da vitamina D no organismo é determinante para a adequada absorção do cálcio. E ainda age no sistema imunológico, com as funções de proteger os órgãos e impedir a perda de massa muscular.

O armazenamento de gordura na parte interna da artéria contribui para que o coração receba menos sangue e oxigênio, processo chamado de arterosclerose. Essa gordura consiste no acúmulo de colesterol, cálcio e outras substâncias no sangue.

O nutrólogo Dr. Celso Cukier, do Hospital do Coração, explica que a vitamina D é facilmente metabolizada pela emissão da luz do sol. “É recomendada a exposição de aproximadamente 20 minutos por dia, antes das 10h e após as 16h. Outras fontes são alimentos como leite, peixes, ovos, queijo e carnes", complementa o Dr. Cukier.

Por outro lado, o médico recomenda cautela para quem deseja buscar suplementos de vitamina D. “Isso deve ser feito apenas com orientação médica”, alerta. O excesso da vitamina pode causar hipertensão e problemas renais.