Meio Ambiente

Dilma deve esperar a Rio+20 para decidir futuro do Código Florestal

A decisão final sobre o Código Florestal deve ficar para depois da Conferência da ONU Rio+20. Mesmo com a pressão feita pelos ruralistas, a presidente Dilma Rousseff anunciou que não tem pressa em tomar a decisão final sobre a legislação ambiental.

A decisão final sobre o Código Florestal deve ficar para depois da Conferência da ONU Rio+20. Mesmo com a pressão feita pelos ruralistas e a divergência de opiniões entre a base do governo, a presidente Dilma Rousseff anunciou que não tem pressa em tomar a decisão final sobre a legislação ambiental.

Conforme publicado pela Folha de S. Paulo, a espera é motivada pela preocupação com a imagem passada pelo Brasil durante a reunião internacional. Se o Código fosse aprovado agora, o país poderia ficar constrangido diante das nações que discutirão metas e estratégias de desenvolvimento sustentável para os próximos anos.

Dilma informou também que se a pressão por parte dos ruralistas continuar é possível que a proposta seja vetada por ela. Assim, a mudança na legislação, da forma como foi proposta, seria cancelada. No entanto, a decisão da presidente parece pender para a aprovação do modelo apresentado pelo senado, que é considerado por ela, o meio termo entre ruralistas e ambientalistas.

O Código Florestal ainda não foi votado pela Câmara após ter passado por alterações no Senado. As opiniões diferentes sobre vários pontos da proposta não ocorre somente entre os ruralistas e os ambientalistas, mas também atinge o líder da bancada na Câmara, Moreira Mendes (PSD-RO), e o relator, Paulo Piau (PMDB-MG), que é o responsável por apresentar o texto final para votação.

No momento, a legislação ambiental não é prioridade entre os deputados. O assunto que está em pauta para votação é a Lei Geral da Copa, cujo ponto polêmico é a venda ou não de bebidas alcoólicas dentro dos estádios durante o evento. Com informações da Folha.

Redação CicloVivo