Geek

Crackdown 3 vai mal nas primeiras análises

Escrito por Paulo Carmino

As primeiras análises de Crackdown 3 publicadas em sites internacionais comprovam a impressão deixada pelos trailers: trata-se de um jogo simples e já um tanto defasado tecnicamente e conceitualmente, que talvez tivesse mais chance de sucesso se fosse lançado nos primeiros anos do Xbox One, e não no final da existência do console.

Crackdown 3 foi anunciado em 2014 e deveria ter saído em 2016, mas acabou sendo adiado várias vezes e será finalmente lançado na próxima sexta-feira, dia 15. O jogo que é o único exclusivo da Microsoft para o Xbox One no primeiro semestre está com a média 62/100 no agregador Metacritic, e as opiniões mais otimistas falam de um jogo agradável e que preserva a essência da série, enquanto a maior parte reclama de gráficos ultrapassados e conteúdo que é simples demais para um jogo que passou tanto tempo em desenvolvimento.

“Eu não consigo descobrir quanto tempo demorou para fazer. Tanto a parte de campanha quanto o multiplayer de Crackdown 3 acabaram sendo simples iterações de títulos anteriores, o que me surpreende que estivemos falando sobre esse jogo por quase cinco anos”, escreveu o avaliador do site DualShockers, que se diz um fã da franquia Crackdown. A nota do site foi 5/10.

O mesmo 5/10 foi dado pelo IGN, que escreveu em seu veredicto: “No papel, a campanha para um jogador de Crackdown 3 marca todos os quesitos que tornaram o original um jogo agradável – mas jogá-lo é tão emocionante quanto passar por uma lista de verificação e se torna totalmente repetitivo após as primeiras horas. Seu combate de segundo a segundo é desinteressante após umas duas lutas contra chefes, e mesmo que haja uma satisfação compulsiva em cruzar suas muitas atividades detalhadas, nunca é mais do que isso”.

O avaliador do Destructoid foi um pouco mais generoso com a nota 6/10, mas resumiu o sentimento da maior parte dos avaliadores em sua resenha: “Crackdown 3 é um bom Crackdown, o que, infelizmente, não significa muito mais. O design moderno de jogos superou o modelo de Crackdown aos trancos e barrancos – tão alto e distante quanto um agente pode pular. A coisa mais notável sobre Crackdown 3 é o quão pouco ambicioso ele é. Está satisfeito em ser datado, como uma relíquia de uma época passada. Isso pode ser reconfortante de certa forma, mas é imensamente mais decepcionante. Crackdown 3, assim como seus parentes, é apenas uma distração e nada mais”.

Mais otimista, o autor da análise da EGM deu 7/10, e o seguinte veredicto: “Eu certamente não diria que Crackdown 3 é o jogo mais decepcionante que já joguei, ou mesmo que não vale a pena ser jogado. É divertido quando você sente como se estivesse viajando, procurando orbs, pulando nos telhados e explodindo bandidos. Mas comparado com o que Crackdown 3 originalmente prometeu ser, não é a sequência inovadora que eu esperava no final do ciclo de vida do Xbox One”.

Veja outras notas já publicadas:

VideoGamer – 6
Press Start – 7
PCGamesN – 6
Attack of the Fanboy: 3/5
IGN – 5
GamesRadar+ – 3/5
Gamespot – 5
Telegraph – 3/5
Metro – 4
Stevivor – 4
Destructoid – 6
Guardian – 3/5
TrueAchievements – 3/5
Screen Rant – 2.5/5

Sobre o Autor

Paulo Carmino