Geek

Call of Duty pode ter cronograma de desenvolvimento alterado por brigas internas

Escrito por Paulo Carmino

A Activision pode ter alterado pela primeira vez em muitos anos o rodízio de desenvolvimento da série Call of Duty, após um conflito entre os estúdios Sledgehammer e Raven, que seriam responsáveis pelo jogo do ano que vem.

Até hoje, o desenvolvimento dos jogos da franquia Call of Duty era dividido em três equipes que trabalhavam em um cronograma alternado. O Infinity Ward deve ser o autor do Call of Duty deste ano, que segundo rumores será Modern Warfare 4, e no ano que vem seria a vez do Sledgehammer e Raven, até que o Treyarch assumiria com seu provável Black Ops 4 em 2021. Porém, segundo informações obtidas pelo site Kotaku, esta alternância não será mantida mais, devido a uma briga entre o Sledgehammer e o Raven envolvendo diferenças criativas no desenvolvimento do Call of Duty 2020.

O jogo que os dois estúdios estavam preparando para 2020 seria, de acordo com rumores, baseado em um conflito na Guerra Fria, talvez tendo o Vietnã como cenário. Mas por conta dos conflitos internos, o projeto foi cancelado pela Activision e os dois estúdios foram incumbidos de colaborar com a Treyarch para adiantar seu próximo lançamento em um ano. Ou seja, o Call of Duty de 2020 será o do Treyarch, mas parte do jogo, aparentemente a campanha principal, será responsabilidade do Sledgehammer e do Raven.

A campanha para um jogador seria adicionada a Black Ops 5 para responder ao público que se queixou da falta de uma campanha em Black Ops 4. É possível ainda que o jogo seja intergeracional, ou seja, lançado para os consoles da atual e da próxima geração, visto que o PlayStation 5 e novo Xbox devem estar no mercado no final de 2020.

A Activision não comentou a notícia. O anúncio do Call of Duty deste ano também parece estar atrasado, já que tradicionalmente a editora convoca a mídia para uma apresentação em maio.

Sobre o Autor

Paulo Carmino