Tecnologia

Boeing cria avião movido a energia elétrica

A montadora de aviões norte-americana desenvolveu o SUGAR Volt, um protótipo de avião híbrido que utiliza energia elétrica para voar. Carregado com baterias nos aeroportos, o novo jato queima 70% menos combustíveis que os modelos convencionais.

A Boeing, montadora norte-americana de aviões, desenvolveu o SUGAR Volt, um protótipo de avião híbrido que utiliza energia elétrica para voar. Carregado com baterias nos aeroportos, o novo jato queima 70% menos combustíveis que os modelos convencionais.

O estopim para a criação do avião movido a energia elétrica foi a pesquisa SUGAR (Pesquisa de Aeronave Ultraverde Subsônica, em inglês), projeto financiado pela NASA para avaliar as tecnologias verdes que podem ser aplicadas em jatos nos próximos 37 anos.

O avião, batizado de Volt, é o jato mais simples apresentado na pesquisa até agora. Entre os projetos desenvolvidos, também ganhou destaque a intenção de montar aviões movidos a hidrogênio ou células de combustível de metano, a fim de substituir os combustíveis tradicionais. 

Ao contrário dos modelos comerciais, o Volt possui baterias armazenadas na parte de baixo de sua estrutura, que são carregadas com eletricidade quando o avião está no aeroporto. Depois de completar a carga, o avião já pode levantar voo. Durante a decolagem, as turbinas são alimentadas com o combustível tradicional, mas, ao ficar estabilizado, o Volt utiliza apenas energia elétrica.

A tecnologia híbrida do SUGAR Volt permite que 70% do voo seja realizado sem emitir nenhuma partícula de poluição originada da queima de combustíveis fósseis. Por funcionar com apenas 30% do combustível que seria utilizado pelos jatos convencionais, o protótipo desenvolvido nos EUA já chamou a atenção das companhias aéreas, que pretendem reduzir seus gastos com combustíveis.

Além disso, um avião híbrido poder ter a envergadura duas vezes maior do que os modelos convencionais, o que aumenta a eficiência energética e permite decolagens mais rápidas. Com informações do Gizmag.

Redação CicloVivo