Tecnologia

Avião movido a energia solar não consegue completar voo entre Suíça e França

Escrito por Forbiddeen

O Avião Solar Impulse não conseguiu completar o voo até Paris, no último sábado (11), por falta de um pouso intermediário. A aeronave movida a energia solar é convidada de honra do Salão Internacional da Aeronáutica e do Espaço de Le Bourget.

O Avião Solar Impulse não conseguiu completar o voo até Paris, no último sábado (11), por falta de um pouso intermediário. A aeronave movida a energia solar é convidada de honra do Salão Internacional da Aeronáutica e do Espaço de Le Bourget.

Nesta segunda-feira (13) o avião, criado pelo suíço Bertrand Piccard, com capacidade para apenas um tripulante, completou um mês desde o seu primeiro voo, quando partiu da Suíça para a Bélgica, em uma viagem que durou treze horas. 

Enquanto preparava-se o primeiro voo, Piccard falava sobre o bem sucedido projeto e de sua contribuição para o planeta. "As novas tecnologias podem reduzir nossa dependência das energias fósseis".

O Solar Impulse foi novamente notícia, no último sábado, mas desta vez as informações não foram muito animadoras. Em uma tentativa de voar para o aeroporto de Le Bourget, próximo de Paris, o avião teve de dar meia volta para Bruxelas.

A aeronave saiu da capital belga e chegou a entrar em território francês, mas teve de voltar por falta de pista em que pudesse ser feita uma aterrissagem intermediária.

"Não há nenhuma pista de aterrissagem intermediária, e como as baterias de energia estavam diminuindo, preferimos dar meia volta para não colocar a vida do piloto [André Borschberg] em perigo", explicou a porta-voz à agência France Presse.

Em 20 de junho será aberto o Salão Internacional da Aeronáutica e do Espaço de Le Bourget, em Paris. O Solar Impulse é convidado especial deste evento, por isso, se a meteorologia colaborar, a aeronave vai tentar alcançar o aeroporto novamente na próxima semana. 

No mês passado, quando o voo da Suíça para a Bélgica teve um bom resultado, o piloto Andre Borschberg falou com entusiasmo sobre o sucesso do projeto e da responsabilidade da continuidade do mesmo. 

"Pilotar uma aeronave como a Solar Impulse pelo espaço aéreo europeu e pousar em um aeroporto internacional é um desafio incrível para todos nós, e o sucesso disso depende do apoio das autoridades", diz o piloto e co-criador do avião, Borschberg.

O Solar Impulse já realizou muitos voos dentro da Suíça. Em 2010, a aeronave abastecida somente por suas baterias e painéis solares bateu recorde por ficar no ar durante 26 horas, 10 minutos e 19 segundos. Este foi o maior tempo de autonomia já atingido por um avião movido a energia solar. Com informações da Folha de S. Paulo e Veja.

Siga as últimas notícias do CicloVivo no Twitter

Sobre o Autor

Forbiddeen