Decoração & Design

Arranha-céu coberto por algas pretende purificar o ar das grandes cidades

Os arquitetos checos, Pavlína Doležalová e Jan Smékal conceitualizaram um arranha-céu para purificar o ar da cidade. O principal objetivo deste projeto é trazer ar puro e fresco para as metrópoles do mundo.

Os arquitetos checos Pavlína Doležalová e Jan Smékal conceitualizaram um arranha-céu para purificar o ar da cidade.

O principal intuito deste projeto é trazer ar puro e fresco para as metrópoles do mundo. A intenção é dar lugar para essas torres nos pontos mais poluídos da cidade. O objetivo é construir uma rede de arranha-céus para transformar o ar poluído e a fumaça em ar limpo. A unidade base é um arranha-céu de “limpeza” que contém um organismo vivo, a alga, que converte a poluição e a fumaça em oxigênio.

O prédio é basicamente uma torre de 240 metros de altura coberta com algas. Esta torre helicoidal pode ser construída em áreas poluídas e a estrutura externa do edifício é composta por um aglomerado de picos inspirados nas esponjas marinhas. 

As principais funções da torre serão a de uma chaminé enorme, onde o ar poluído pode ser captado, filtrado e oxigenado pelas algas e por um sistema de aspersão de água especializado. As algas naturalmente consomem CO2 e liberam oxigênio durante o processo de fotossíntese. Além disso, o vegetal ainda poderá ser utilizado para produzir biocombustível. 

A única desvantagem deste conceito de sistema de purificação de ar são os custos. Até o presente momento, os gastos com a etapa de construção, desenvolvimento e manutenção seriam muito altos. 

Redação CicloVivo

Siga as últimas notícias do CicloVivo no Twitter