Decoração & Design

Arquitetos norte-americanos projetam casa sustentável para Habitat for Humanity

Os arquitetos David Miller e Robert Hull projetaram um modelo de casa ideal para o programa Habitat for Humanity. A ideia repete um modelo idealizado em 1962, com a vantagem de ter acrescentado funcionalidade, tecnologias e sustentabilidade.

Os arquitetos norte-americanos David Miller e Robert Hull projetaram um modelo de casa ideal para o programa Habitat for Humanity. A ideia repete um modelo idealizado em 1962, com a vantagem de ter acrescentado funcionalidade, tecnologias e sustentabilidade.

Ao contrário do projeto inicial, que completa 50 anos, o modelo atual não ostenta glamour. Ele presa pela modéstia, mas ainda assim oferecendo tudo o que é necessário para abrigar confortavelmente uma família. Segundo os arquitetos, a grande diferença deve-se ao avanço da construção e da ciência nos últimos anos, que renderam um retorno de como entender melhor a realidade dos recursos naturais limitados e do aquecimento global.

O projeto destaca a importância de reduzir a pegada ambiental da construção civil, utilizando técnicas de arquitetura bioclimáticas e aplicando sistemas que permitam o uso de energia renovável e proporcionem maior eficiência.

Para começar este projeto os arquitetos contaram com a ajuda de mais de 60 especialistas, entre eles engenheiros e planejadores da área residencial. Quatro tópicos foram primordiais nas análises: construção, energia, programa e facilidade e rapidez com que a estrutura pudesse ser finalizada.

O uso de sistemas pré-fabricados, aliado a tecnologias simples, permite que os voluntários do programa sejam facilmente capacitados. Além disso, está em estudo a utilização de sistemas que permitam que as residências sejam capazes de produzir toda a energia necessária para o seu consumo de maneira limpa. Para que este ideal se concretize é possível que sejam usadas bombas de calor para aquecer a água e o ar. Também será instalada laje especial que auxilia no conforto térmico interno e minimiza os gastos energéticos.

O conforto das famílias que serão beneficiadas é de extrema importância. Por isso, os arquitetos planejaram uma residência flexível, que pudesse ser otimizada de acordo com a necessidade de seus moradores.

Redação CicloVivo