Geek

Agência de detetives da época do Velho Oeste processa a Take-Two por Red Dead Redemption 2

Escrito por Paulo Carmino

Uma agência de detetives fundada na época do Velho Oeste está processando a editora Take-Two por uso de sua marca em Red Dead Redemption 2.

A Pinkerton Consulting & Investigations, encarnação moderna da Pinkerton Detective Agency formada em 1850, alega que Red Dead Redemption 2 faz inúmeras referências aos Pinkerton ao longo de sua história, já que a organização é responsável por caçar o protagonista Arthur Morgan durante o jogo. A empresa solicitou que a Take-Two pague uma quantia não especificada pelo uso de sua marca ou ceda parte dos royalties do jogo a ela.

Embora hoje atue como uma consultoria de análise de risco para empresas, a Pinkerton tem um legado de casos de investigação que se tornaram famosos nos Estados Unidos, como a descoberta de um plano de assassinato do presidente Abraham Lincoln. A marca já foi citada inúmeras vezes em trabalhos de ficção no cinema, TV e mesmo em jogos, como em BioShock Infinite.

No processo que iniciou contra a Take-Two, a empresa alega que o jogo faz crer que os Pinkerton estavam envolvidos no desenvolvimento de Red Dead Redemption 2. A Take-Two contesta dizendo que o uso do nome Pinkerton é protegido pela Primeira Emenda dos Estados Unidos e foi feito dentro do chamado “uso justo”.

“Simplificando, [a Pinkerton] não pode usar a lei de marcas registradas para se apropriar do passado e impedir que criadores incluam referências históricas a agentes da Pinkerton em representações do oeste americano”, disse a empresa.

Ele continua dizendo que o uso do nome Pinkerton no jogo é uma das muitas maneiras pelas quais a Rockstar tentou criar uma representação realista do Velho Oeste. Além disso, a Take-Two observou que o nome Pinkerton tem sido usado em obras de ficção há muito tempo.

“Trabalhos criativos sobre o oeste americano são autorizados como uma questão de lei a incluir tais eventos históricos reais, números e negócios”, acrescentou. “Particularmente, onde não há probabilidade de os consumidores ficarem confusos sobre a origem do trabalho criativo, os proprietários de marcas registradas não devem usar a lei de marcas para assediar os autores, diminuir o discurso e diminuir o teor histórico de obras como Red Dead. A ficção – televisão, filmes, peças de teatro, livros e jogos – sofreria muito se alegações de marca registrada como a de [Pinkerton] pudessem ter sucesso”.

O enorme sucesso dos jogos da série Grand Theft Auto sempre atraiu processos oportunistas contra a Take-Two e quase sempre eles fracassam. A empresa já foi acusada, entre outras coisas, de ter se inspirado em celebridades reais para criar personagens para o jogo. Só o último lançamento da série, Grand Theft Auto V, foi alvo de pelo menos três processos, sendo que o mais famoso deles envolveu a atriz Lindsay Lohan, que alegou ser a inspiração para a personagem Lacey Jonas.

Sobre o Autor

Paulo Carmino