Geek

A SpaceX está prestes a lançar dois dos seus satélites espaciais de internet

Escrito por Paulo Carmino

Após a primeira missão Falcon Heavy da SpaceX, a empresa está voltando à sua rotina com outro lançamento do Falcon 9 neste fim de semana. O foguete está programado para decolar da Califórnia no início da manhã de domingo, enviando um satélite de observação da Terra chamado “Paz” para a Espanha. O foguete também terá dois satélites adicionais que viajam a passeio: protótipos de sondas construídas pela SpaceX para testar a tecnologia necessária para ‘descer’ a internet do espaço.

O envio dessas duas placas de teste – chamadas Microsat-2a e Microsat-2b – é um grande primeiro passo nos planos de longo prazo da SpaceX para criar internet via satélite. A empresa quer criar uma constelação gigante de cerca de 12.000 satélites que irão orbitar em uma dança sincronizada acima da Terra, transmitindo conexão à Internet para receptores de antenas na superfície do planeta. Um conjunto de 4.425 satélites ficará a cerca de 1126 quilômetros, enquanto 7.518 satélites ficarão cerca de 322 quilômetros acima e operarão em uma radiofrequência diferente. Essa frota de satélites maciços estará constantemente em movimento ao redor do planeta e supostamente será capaz de fornecer cobertura em praticamente qualquer ponto na Terra em todos os momentos.

A SpaceX espera que o sistema, chamado Starlink, seja muito lucrativo. As projeções financeiras obtidas pelo The Wall Street Journal em 2017 mostram que a empresa espera ter mais de 40 milhões de assinantes no serviço até 2025, totalizando R$ 97 bilhões na receita desse ano.

Claro, há uma grande complexidade para o sistema que a SpaceX precisa descobrir primeiro. A empresa precisa ter a capacidade de coordenar simultaneamente milhares de satélites em órbita não geoestacionária em todos os momentos, o que significa que eles não ficarão em uma posição fixa acima do planeta. E então há a tecnologia necessária para receber a internet na Terra. Os satélites estarão movendo-se constantemente sobre diferentes lugares da Terra, de modo que as antenas de recepção precisarão descobrir rapidamente qual satélite é o melhor para se comunicar a todo momento.

Acima de tudo, a SpaceX precisa ter acesso a uma parte do espectro radioelétrico – o alcance das frequências de ondas aéreas que serão usadas para enviar a internet para baixo do espaço. A SpaceX apresentou inúmeros pedidos à Comissão Federal de Comunicações, que é responsável por determinar como as empresas de satélites comerciais utilizam essas ondas de rádio e, na quarta-feira, o presidente da FCC (Comissão Federal de Comunicação, na sigla em inglês) Ajit Pai fez uma declaração mostrando seu entusiasmo pelo projeto.

“Após a análise cuidadosa deste pedido pelos excelentes especialistas em engenharia de satélites da nossa Mesa Internacional, solicitei aos meus colegas que se juntem a mim para apoiar esta aplicação e se desloquem para libertar o poder das constelações de satélites para fornecer internet de alta velocidade para os americanos rurais. Se adotado, seria a primeira aprovação dada a uma empresa americana para fornecer serviços de banda larga usando uma nova geração de tecnologias de satélite de órbita terrestre baixa”.

Quando e se o pedido será aprovado não está claro, embora o apoio de Pai torne a aprovação muito mais provável.

Colocar satélites funcionais em órbita ajudará a participação da SpaceX no seu espectro. Então, a empresa espera lançar seus primeiros satélites operacionais em 2019 – o mesmo ano em que a concorrente OneWeb espera trazer seus primeiros satélites de internet. No entanto, a empresa mantém silêncio sobre o lançamento do Microsat-2a e 2b deste fim de semana. O objetivo principal da missão é o lançamento de Paz, e a SpaceX se concentrará nisso.

O satélite Paz vai para uma órbita baixa que atravessa os pólos, onde será usado pelas empresas comerciais espanholas e pelo governo da Espanha. O Falcon 9 que leva o satélite ao espaço será outro dos impulsionadores usados ​​da empresa, mas o veículo não tentará aterrissar após a decolagem. (A SpaceX não deu uma razão para isso).

O lançamento está programado para decolar da Base da Força Aérea de Vandenberg, na Califórnia, às 12h17 (horário de Brasília) no domingo. A SpaceX estava originalmente com o objetivo de lançar sábado, mas decidiu atrasar um dia para ter mais tempo para verificar os sistemas do foguete. Além disso, o horário deste voo pode significar que o foguete fará um show no céu. Vai acontecer em torno do nascer do sol na Califórnia, então a iluminação naquele momento poderá iluminar o gás em torno do foguete enquanto ele ascende. A cobertura da SpaceX em sua página no Facebook deve começar cerca de 15 minutos antes da decolagem, então não deixe de acompanhar.



Sobre o Autor

Paulo Carmino