fechar
Destaques

10 Motivos para você migrar para o Windows 10 Seu PC com sistema operacional W...leia mais Apesar de ser amplamente divulgado o quanto é perigoso deixarmos bebês e anim...leia mais Nos Estados Unidos, uma cachorra adotada teve a oportunidade de mostrar toda su...leia mais Muitas vezes, quando terminamos um relacionamento, nos sentimos meio perdidos, ...leia mais Tenho quase certeza de que a essa altura você já deva ter ouvido falar de im...leia mais Recentemente foi criado um Portal voltado a divulgação das feirinhas de artes...leia mais O portal de tecnologia TechRadar, conhecido também por fazer algumas lis...leia mais Galera, eu mal acreditei quando vi isso! A loja TERABYTESHOP conhecida no Brasil...leia mais

Lola é a primeira cadela a ser registrada em um cartório do Rio


A produtora de eventos Maria Theresa Macedo, 52, levou sua cadela Lola ao 6º ofício, no Centro da capital carioca, para registrar sua cadela. Essa marca a primeira vez no estado do Rio que um animal é registrado no cartório.

O motivo da tutora ter tomado essa atitude é para oficializar perante a sociedade que Lola pertence a ela. Ou seja, mesmo que se relacione novamente com alguém e essa união venha a terminar, o registro faz com que não haja a possibilidade de divisão de custódia do animal.

A ideia de criar um registro de animais partiu da tabeliã e tutora de dois cães, Maria Andrade dos Santos. Ele consiste em um banco de dados com foto do animal, microchip (caso haja um) e dados do responsável. O intuito é também saúde pública, já que essa é uma garantia de provar que o animal pertence a determinada pessoa, principalmente em casos de maus-tratos.

Em entrevista ao Portal do Dog, o advogado Rodolfo Bittencourt explica que perante a lei, o animal de estimação é considerado um bem material. O Código Civil atual regula a partilha de bens conforme o regime adotado pelas partes, podendo ser feito de forma isonômica, como é o caso do regime de comunhão parcial, conforme o patrimônio construído por cada um dos cônjuges antes ou depois do casamento, como é o caso do regime de separação total dos bens ou conforme a participação de cada um na construção do patrimônio, como é o caso do regime de participação final nos aquestos.

Infelizmente a lei não corresponde a realidade de milhões de tutores brasileiros e seus pets e não reflete o relacionamento de afeto e carinho compartilhada entre espécies.

 

Teca e Lola.

 

Fonte: O Globo



Notícias sobre Pets

Tags:, , , , , , , , ,

Histórico Página
Open